terça-feira, 6 de março de 2012

Roma e a Violência





Tenho ouvido muito falar sobre a violência que estaria a níveis altíssimos nos últimos tempos... Que o mundo está perdido, que é o fim do mundo. Que as pessoas estão perdendo a sensibilidade, etc, etc.

Então assisti um seriado chamado Roma, onde crianças são mortas a troco de banana, homens negociam sua vida como se estivesses fazendo compras. E uma forma de resolver problemas, muito comum, era eliminando definitivamente quem os causava. Além de intrigas, roubo, estupros, tortura e por aí vai.

Penso que nossa violência não é um mal da atualidade, é apenas uma das forma de nos comportarmos. Infelizmente é dolorosa e trágica, mas não é novidade. Talvez estejamos achando novo, porque passamos quase um século e meio sem apresentarmos tanto este comportamento. As regras morais colocadas no final do século XIX eram realmente repressoras da violência. A partir da década de 60 no século XX voltamos a nos liberar para soltar os impulsos violentos e voltamos a ver nosso comportamento bárbaro, agora via internet em tempo real, isto sim é novidade...

Não estou dizendo aqui que aprecio a violência. Acho-a triste, mas dizer que agora é pior do que antes é não conhecer história da humanidade; nunca fomos melhor. Somos violentos, também.Há épocas que mostramos mais e épocas que mostramos menos, mas a agressividade habita em todos nós.

Creio na evolução, acho que cada vez mais aprenderemos a sermos pacíficos, e  a dominarmos, com inteligência, este gênio e tendência a crueldade que temos. Porém acredito que para isso precisamos encarar este lado, talvez até vivenciá-lo às últimas consequências para mudarmos o rumo. Não é um bom prognóstico... Mas também não é o fim do mundo. Pelo menos de todo mundo, pode ser o fim de muitos e teremos um período doloroso para passar como humanidade, contudo é assim que a terra vem se desenvolvendo há bilhões de ano, a diferença agora é que estamos conscientes.


Namasté!