terça-feira, 14 de outubro de 2014

Árvore do Conhecimento







Embaixo do oitizeiro
Armei uma tenda
Confortável,
Segura,
Solitária.
Para dias de reflexão.
E lá
Confortável,
Segura e
Solitária
Viajo em muitas dimensões.
Encontro-me comigo
E me afasto de mim
Descubro horizontes
Percebo fronteiras,
Perco-me em meu próprio jardim.
Observo e sou observada
Pelos vários eus
Que me acompanham nessa
Jornada.
Confortável, segura e
Solitária.


Quadro de Nino – Série Florestas 2007

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A Mulher Sábia





"Toda mulher sábia edifica sua casa; mas a tola a derruba com suas próprias mãos"

Provérbios 14:1


Não pessoas, não me tornei evangélica... Mas quando farejo sabedoria eu ataco. E tem muita sabedoria nesta frase. As feministas talvez não concordem comigo. Contudo gostaria que me lessem primeiro. Porque concordo com esta frase? Porque reconheço sabedoria nela? Ela é antiga, do velho testamento, atribuída à Salomão. Porém penso que continua atual. Uma mulher com sua habilidade emocional, pode harmonizar os membros de sua família se usar sua inteligência e maturidade. É um trabalho a mais, sim, mas que pode render ótimos frutos.

Acredito que se a mulher for esperta pode "manejar" bem seu consorte pra que tenha um colaborador em sua "equipe" que é como eu tenho chamado família de uns tempos pra cá. Um grupo de pessoas que varia de duas a mais, com um mesmo objetivo, serem felizes. E porque não o são em muito dos casos? Porque ainda ouço muitas mulheres reclamando de seus maridos, dizendo que eles não são parceiros, não colaboram, ficam isolados afetivamente, não se comprometem de verdade, são egoístas (esta é a que mais escuto), e até atrapalham no final?

Acho a educação masculina, falha. O homens não são criados para se comprometerem com uma mulher, eles até querem, mas estão tão perdidos que fazem tudo errado, e terminam se frustrando e tendo um pouco de aversão à parceira e ao compromisso com mulheres em geral. Pra amizade tudo bem, mas casar? Não obrigado. Uma mulher pode mudar isso? Eu acredito que sim, com jeitinho, persistência, carinho e atitudes educacionais. Estas últimas são mais importantes. Educar os homens para um compromisso é tarefa da mulher sábia como diz Salomão, que edifica o lar. Mas será que ela pode fazer isso sozinha? Pode partir dela, sim. Com ajuda de fora, fica mais fácil, mas a mulher tem mais condições que o homem, na maioria dos casos.

Usando inteligência e estratégia, como faz a polícia, aprende com os dados e elabora um plano e executa, revendo erros e acertos. Aí me dizem, mas Nanda e o amor? Isso que você sugere parece tão mecânico... Sim, é prático, como o cotidiano o é. Na minha opinião fazer duas pessoas diferentes funcionarem juntas tem mais a ver com cérebro azeitado que com coração amanteigado. Embora se você utiliza o plano com amor ele funcionará com muito mais precisão. Minha proposta é: junte os dois, mas deixe o cérebro guiar. O coração vem pra acetinar os erros, depois e na comemoração, nas vitórias, assim como para aplainar os dizeres difíceis. E os perdões tão necessários com uma convivência longa.

Acho a bíblia um livro de sabedoria, que dá muitas dicas pra o dia a dia. Já que é o livro sagrado dos ocidentais, bem que podíamos usá-lo a nosso favor!

Traga a frase diariamente em sua mente e veja que tipo de pensamentos e ações vem depois disso. Treine agir de maneira mais estudada, com base nesta sabedoria simples de Salomão. Dê uma chance e veja o que acontece!

Namasté!
Toda mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos.

Provérbios 14:1
Toda mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos.

Provérbios 14:1
Toda mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos.

Provérbios 14:1

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Pulsação




Tudo no universo é uma
Questão de pulsação.
Contração e expansão.
Estamos sempre
Nessa dança.
Agora estamos contraídos
Na morte; expandimos


Nanda Botelho
18/09/95


terça-feira, 10 de junho de 2014

Sombra







E no escuro eu vi:
Gente enegrecida por dentro
Buscando luz fora
Descobrindo breu
Grudando-se no piche
Perdendo-se,
Achando-se
Em plena escuridão.


Nanda Botelho
10/09/95


Outra de uma fase sombria.
Essa eu estava no meio do carnaval quando apareceu em minha mente. Era noite e era o que eu estava enxergando. Gente embriagada fingindo uma alegria descontrolada.
Mas caindo no chão da rua e de sua própria existência.
Nunca mais saí para ver o carnaval a noite...

quarta-feira, 14 de maio de 2014

O Divino




Não adianta correr
De nada vale fugir
Não tente se esconder
O divino está
Onde você estiver.
Movimentando-se com você.
Indo,
Correndo,
Fugindo,
Escondendo.
Totalmente em você
Colado,
Dentro.
Reconheça...
E deleite-se!

Nanda Botelho
17/09/95

Inspirado no filme “Viagens alucinantes”.

domingo, 6 de abril de 2014

Morte




Os olhos abertos e vazios
janelas de uma casa sem morador.
O pulmão contraído.
E numa expiração
o ser se lança no universo
pra nunca mais voltar.
Na morte o corpo tem
uma necessidade plena de esvaziar.
Artérias secas,
a matéria dura e fria.
Para onde foi seu morador?
Pra onde foram os contrastes?
Qual o sentido?
O que acontece é:
num momento há um ser,
Depois um corpo desabitado.
É um truque que o mágico
nunca explicou.

Nanda Botelho
22/09/95

terça-feira, 25 de março de 2014

Casamento e Gaiola






Estava no estacionamento de uma loja de produtos de animais, quando vi um pássaro numa gaiola, acho que era uma calopsita, lindinha. Ela estava num espaço que pareceu pequeno. E fiquei pensando se ela estava gostando de viver daquele jeito.

Logo listei as vantagens; proteção, alimento certo e, se o dono fosse bom, muito carinho. Ele seria amado, mas será que valia o aprisionamento? Será que toda essa segurança era um valor razoável pela sua liberdade de ir e vir, de voar bem alto, de estar com outros de sua espécie, de fazer escolhas? Bom, não acho que animais fazem escolhas, pois seguem um padrão da natureza, com exceção é claro dos animais de Hollywood, mas sei lá!

Bom, aí transferi isto para um casamento. É bem parecido, você troca a liberdade de ir e vir e de escolher onde, quando e com quem quer estar, de acordo apenas com seu desejo, por uma sensação de segurança, de alimento afetivo certo, sem ter dúvidas se terá este alimento. É garantido. Ganha também proteção, pois o arranjo dá um certo sentimento de que não precisamos mais nos esforçar para receber atenção, carinho, companhia.

Mas do mesmo jeito que o pássaro, perdemos algumas coisas em troca deste sentimento. O pássaro, se tiver de asa perfeita e forte, pode, num descuido do dono, fugir. E o cônjuge também, então tratamos de cortar as asas da criatura, porque ninguém escolhe conforto pra sempre e tem uma hora que todos voam. Os humanos tem um recurso a mais que os animais. Eles sabem dissimular, fingir e para não perderem todas as vantagens, vivem duas vidas, na maioria dos casos. Eu também estou incluindo aí a imaginação, nem sempre realizamos, mas fatalmente fantasiamos.

Nenhum ser humano consegue ficar enjaulado por muito tempo, sem tentar um jeito de escapar. Talvez precisemos de maturidade para encarar este fato e incluir no casamento momentos de voo livre. Penso que assim é possível ter o melhor dos dois mundos sem precisar fingir.

Que tal soltar o pássaro de vez em quando e confiar no afeto construído como porto seguro para onde ele volta, claro isso valendo para qualquer dos participantes da brincadeira.

Namastê!
Gostou do texto? Compartilhe-o, clicando num dos botões abaixo!

quinta-feira, 20 de março de 2014

Superfície




Nós vivemos do lado de fora
Da terra.
Estamos em contato direto com
O universo
Protegidos apenas pelos
Campos de energia
circundantes de nosso planeta.
À noite a cortina azul clara,
Como pano de teatro, se abre
Em milhões de olhos brilhantes.
Que nos observam do escuro.
Podemos passar toda noite
Olhando nos olhos
de deus.

Nanda Botelho
23/11/95