quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Vaidosa, eu?



Eu nem gosto de generalizações, mas vou fazer uma aqui. Todo mundo que ser importante, quer ser valorizado. E por isso fazemos coisas inimagináveis ou escondemos informações. Acho que é por isso que temos segredos. Os segredos são a tentativa de esconder os fatos que nos desvalorizam. E quando descobrimos que não somos essa coisa toda que imaginávamos, caímos em desespero.

Penso que é por isso que ser "feito de bobo" nos leva a um mal estar tão grande. Quando descobrimos que alguém escondeu algo de nossa astúcia e perspicácia, nos sentimos bestas, ou seja, pessoa de pouca inteligência, o que nos desvaloriza em altíssimo grau. Afinal quem quer ser parvo, ignorante?

Temos uma empáfia natural, que quando questionada ou quebrada nos derruba a ponto de deprimirmos. Acho que por isso as "traições" doem tanto, além de percerbermos que não somos o único objeto de atração e afeição do outro, ainda fomos pouco inteligentes de não ter notado o fato. Tiro duplo em nossa autoimagem, dói descobrir, ao mesmo tempo, que não somos tão imprescindíveis assim e nem tão espertos como pensávamos...

Vaidade é uma cadela, como dizem os americanos, nos derruba sem nem nos darmos conta que a tínhamos! Quanto mais vaidosos somos mais deprimidos ficamos ao sermos enganados. E claro, a parte vaidosa em nós não concorda com isso e se esconde com máscaras de sentimentos nobres, como confiança (eu confiei, nele/nela) ou justiça (eu fui desrespeitado).

Mas é tudo um disfarce, no fundo o que está pegando mesmo é nosso ego vaidoso, querendo ser o que o calendário não marca, com diz minha mãe.

Namasté!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.