domingo, 17 de outubro de 2010

Esquecer uma paixão




Agora a inspiração veio de @anacarolsoares que pediu para falar sobre:

“A dor de esquecer um fato, paixão ou pessoa importante, mas inadequada.”


Venho trabalhando muito com isso... E a boa notícia é: As pessoas se curam! Não ficam feito novela e filme não; amargando uma paixão para o resto da vida. Como já disse antes esse tipo de coisa é muito interessante para ler num livro, acompanhar numa novela ou filme, mas para viver...

Falando em filme tem até um que fala disso “Brilho eterno de uma mente sem lembranças”. No qual um médico inventa um remédio para que o mocinho esqueça, literalmente, de um grande amor que não funcionava bem. Mas mesmo assim o "negócio" fica lá criando problemas.

Então eu sugiro que não se esqueça! Xiiiii... Deu medo? Fique não! Esquecer cria problemas, porque o máximo que podemos fazer é colocar numa gaveta inacessível, que não vemos, mas sentimos, igual ao rapaz do filme. Freud escreveu muito sobre isso. Afinal as mulheres que ele tratou, usavam esse recurso com os eventos muito dolorosos. Ele chamou de recalque, que no meu entender é esconder, mal escondido, algo dolorido.

Pois bem, minha sugestão é: Transforme a lembrança! Você não precisa esconder nada de si mesmo, é melhor modificar a forma como vê esta situação. Eu chamo a técnica que inventei para curar paixão de “desligar os aparelhos da paixão em coma”. Se você prestar bem atenção esse “amor” já está mais pra lá do que para cá. O que precisamos fazer é ir desligando, fio por fio, do que o mantém vivo. Vamos aos poucos transformando essa paixão em outro sentimento, até a pessoa ver esse outro apenas como alguém a quem nos afeiçoamos um dia. Isso leva tempo é claro. Em torno de doze a dezoito meses, mas é possível.

O principal é você saber que a paixão é curável, ela nasceu então pode morrer, como tudo aqui nesta dimensão. Se ela não morre é porque você a alimenta de algum modo, talvez por medo ou, na maioria das vezes, por acreditar que só pode sentir tal coisa um única vez na vida e se deixar isso morrer ficará seco para sempre. Vou lhe dizer: Isso é mentira! Você foi programada pela natureza para sentir isso mais de uma vez e com mais de uma pessoa, se não fosse assim não teríamos tantos problemas com traição.

Meu conselho é: Deixe o romantismo de lado! Ele só fica bem em livros, novelas e filmes.

Namasté!

Leia também
Escolha de sentimentos
Há saúde na dependência?
Somos mal educados emocionalmente

31 comentários:

  1. "Meu conselho é: Deixe o romantismo de lado! Ele só fica bem em livros, novelas e filmes."
    Nós (o ser humano) inventamos o romantismo e depois sofremos com ele! Tem graça isso?? rsrsr
    Proposta apoiada, Nanda!

    ResponderExcluir
  2. É complicado mas é possível entender que ninguém é dono de ninguém. Melhor relaxar e aproveitar do outro, o que ele pode te oferecer. Quando não dá, não dá e pronto.Sem rompimentos traumáticos. É chato, sofrido, mas um dia tudo passa. O tempo cura tudo.

    ResponderExcluir
  3. LandNick:

    Mas não é????
    Acho o cúmulo de nossa ignorância sofrer com algo que nós mesmos criamos!!!!
    rsrrs
    Obrigada pelo apoio, acho que vou precisar, pois mexi em casa de maribondo!
    Bjão!



    Milla:

    Ainda bem que você já pensa assim, pois quando precisar disso vai ser mais fácil!
    Mas lembre-se! O tempo só cura o que está sendo tratado, ele por si só não faz milagre!
    Obrigada pelo apoio, como disse acima, vou precisar pois mexi com um dos simbolismos mais adorados dos humanos: o romantismo! rsrsr
    bjão!

    ResponderExcluir
  4. Nanda,
    Adorei seu post, muito lúcido e perspicaz, alerta aos mais incautos de que o velho jargão "tudo passa" realmente existe, só que há de se ter esforço e gasto de energia. Ficar passivamente deixando o tempo (como vc bem colocou, cerca de doze a dezoito meses), resolver por si, lhe levará a um estágio de paranóia. Não sei se concordo com o termo "paixão", pois acredito que a paixão é mais químico, um pouco dissociado da mente e que é mais volúvel. Talvez o termo "AFETO" seja mais adequado, no sentido em nos afetar, entende?! Sei que sim.
    O grande lance é não ficar parado, deixando os pensamentos piolhos tomarem conta, é tomar as rédias de seus sentimentos e transformá-los, mais uma vez como vc bem lembra.
    O romantismo do século XIX, renovado em filmes melosos e novelas "estúpidas" só serve para confundir o ser humano. Dá vontade de gritar: LEIAM FOULCAULT pelamordideuso, ou Reich, Jung, até Gaiarsa. Em especial, há um livro de um sociólogo britânico, Anthony Giddens, não recordo o título, mas trata deste tema de uma maneira bastante interessante.
    Desculpe, como sempre meu poder de síntese é pobre!rs
    beijos e continuemos
    Parabéns

    ResponderExcluir
  5. Cristiano:

    Obrigada!!!!
    Concordo com a palavra, inclusive eu prefiro ela do que amor, pois acho que não amamos ainda, o que temos é uma paixão seguida de um afeto.
    Penso que achamos confortável o romantismo, por isso não lemos nada que nos possa tirar desse lugar...
    Mas acredito nas transformações e o ser humanos está cada vez mais ficando corajoso, para poder ver sem distorcer a realidade, num mundo de almofadas.
    Fique à vontade para escrever o quanto quiser, para mim é uma honra!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  6. Nanda, o problema ocorre quando a danada da paixão se transforma em sentimento. Aí, as coisas ficam muito mais difíceis. Haja força de vontade!

    ResponderExcluir
  7. Tenho falado que paixão é coisa para adolescentes, embora nos deparemos com esse sentimento pela vida afora.
    Maturidade é saber que uma paixão acaba, e que podem surgir outras. Agora... 12 a 18 meses? Quer me matar? srsrsr Dá vontade de arrancar do peito o coração, como diria o poeta...

    "Quero esquecer - te e vejo entretanto
    que tenho que ao destino me curvar,
    Como esquecer-te se te adoro tanto.
    Se a minha vida veio do teu olhar!

    Quero esquecer-te e trago na lembrança,
    todo este amor que é toda a minha vida.
    Como esquecer-te tendo a esperança
    de ouvir ainda a sua voz querido.

    Teu doce nome não me sae da boca.
    Para esquecer-te só ficando louca,
    perdendo de uma vez toda razão.

    Assim mesmo esquecer-te não podia.
    Para esquecer-te era mistér que um dia
    me arrancassem do peito o coração."

    Mas, enfim...
    "O passado não reconhece o seu lugar: esta sempre presente."
    Mário Quintana

    ResponderExcluir
  8. Olá Nanda,
    Na minha opinião paixão "pode-se" até esquecer mas, AMOR... pode ser a pessoa mais inadequada, para os outros, mas se é AMOR; pra mim é a mais certa!!
    No AMOR não existe inadequação; se assim fosse os pares seriam perfeitos, correlatos branco com branco, médico com médica....
    A paixão, enquanto princípio do amor, fogo torrencial e delicado, não poderia unir seres de universos distintos. Portanto, se ela principia um sentimento maior o que nos faz crer que ela pode ser esquecida???
    Eu amo alguém totalmente diferente de mim, ele é meu oposto e minha completude, não no sentido de dependência emocional ou acomodação psíquica; mas de pureza afetiva e ligação com um sentimento fantástico; o elo que nos une não o torna inadequado pra mim porque ele me faz ser o todo que sou.Independente das pessoas dizerem que não!
    Aqui no Nordeste temos uma exaltação de agarramento, no sentido de grudar mesmo no outro mas, a verdade é que toda essa manha nos caracteriza como sujeitos extremos no sentimento. Talvez, tenha absorvido um tanto disso! Talvez seja imperiosa, geniosa, inflexível.... Mas o que sei é que amo e não esqueço!
    Semana linda pra vc!
    Bjssss

    ResponderExcluir
  9. Oi Nanda! Já fazia algum tempo que eu nao deixava um recadinho para ti.

    Pois é, isso td o que vc comentou eu acredito que é mto verdadeiro.
    Concordo do começo ao fim...
    E sim que somos capazes de superar essas movidas que levamos dentro, dentro do tempo emocional de cada individuo.

    Uma sugestao para o proximo post: amor platonico. Existe mesmo??

    Bsssssssssssssss
    Fe

    ResponderExcluir
  10. Dolores:

    É por isso que coloquei o tempo de até 18 meses, sei que o processo é longo e doloroso, cheio de recaídas e sensação de que não vai dar certo...
    Mas dá viu?
    Bjão!



    Mulher de 40:

    Já peguei mulheres que levaram mais tempo que isso!
    Mas eu estou dando o tempo de recuperação total, então a coisa é longa mesmo.
    Recuperar-se de um coração partido é o mesmo que se curar de um acidente de carro bem grave... Vários ossos quebrados, mas o bom é que o coração é mais plástico de que os ossos!
    Obrigada pela visita e por trazer Mário Quintana com você!
    Bjão!



    Maria de Fátima:

    Bom, eu acho que não considerou duas coisas aqui, quando o parceiro/a morre ou nos deixa... O que se faz então com este sentimento? Guarda-se para sempre e não dá continuidade a vida amorosa? É neste caso que estou falando, ou mesmo quando é um parceiro/a que lhe ofende, maltrata, humilha, essa sentimento não pode ser transformado? Sei que na sua experiência vc não precisou disso, que bom! Mas nem todo mundo encontra uma parceria adequada, e deve ter um meio de mudar isso.

    Quanto a esquecer... Se vc reparar eu não uso esta palavra no texto, uso transformar o sentimento, pois só esquecemos quando temos problemas na memória, é preciso lesionar o cérebro para isso ou ter um trauma tão grande que a mente anula as partes que nos fazem muito mal. Então não esquecemos quem amamos, só mudamos a forma de viver e expressar isso quando for preciso.
    Para quem não precisa deste recurso, melhor! É muito mais econômico, amar um só ser até o fim da vida! rsrs
    Bjão! E obrigada por compartilhar sua experiência e conhecimento!

    ResponderExcluir
  11. Fernanda:

    Menina!!!! Estava pensando em vc esta semana, se já havia voltado para Portugal, e como foi sua visita ao Brasil...
    Acho que desse assunto, se recuperar de um amor, você já tem um grande conhecimento e sabe bem o que estou falando. Já lhe dei várias vezes o parabéns!
    Obrigada pela visita e sugestão, já está anotado e fervilhando na cachola! rsrsr
    Bjão!

    ResponderExcluir
  12. Vc é realmente fantástica!!!!! Não pensei na finitude física tão pouco na finitude psicológica.... Quis defender meu pensamento a todo custo!!!!rsrsrs
    Sou uma eterna romântica e acredito piamente em "amar um só ser até o fim da vida!", mesmo com a finitude física! Talvez seja retrógrada, imperiosa (né?!??!) mas se é AMOR Nanda ninguém nem nada pode me deter!
    Amo conversar com gente inteligente que nem vc!
    Grande abraço e uma semana linda
    Fátima

    ResponderExcluir
  13. Maria de Fátima:


    Mostra inteligência quem consegue mesmo estando apaixonada por um ponto de vista, aceitar emendas, como vc fez! Parabéns!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  14. Oi, Nanda
    E quando a dor é de decepção não de amor? Eu tive uma decepção no passado que não curei até hoje. Isso faz três anos e até hoje sinto calafrios. A decepção foi MUITO grande. rsrsrs
    Um beijo pra você

    ResponderExcluir
  15. Oi moça, seu post serviu para outras coisas que vão bem além de problemas sentimentais:O)

    Já consegui esquecer todos os meus antigos romances, e o único que me deixou ferida até hoje foi o primeiro quando tinha 13 anos, hoje tenho 23 anos.

    É que ele era meu amigo(acho isso pelo menos) e nunca chegamos a namorar, só a ficar, e não sei por que mas ele até hoje está escondido em algum lugar dentro de mim:(

    Odeio ele, foi o jeito que achei de atenuar esse sentimento

    bom post

    ResponderExcluir
  16. Denise:

    Para mim é a mesma coisa. Afinal quando precisamos "esquecer" um amor o motivo geralmente foi uma decepção.
    Desapego é a palavra chave, aprenda com o evento e largue ele, não importa o tamanho da dor, ela está no passado e só você a segura em sua mente, alimentando uma lembrança dolorosa.
    Tudo que nasce morre, e esta decepção não nasceu com você então não é preciso carregá-la até o túmulo.
    Diga "Eu estou disposta a soltar esta decepção, eu permito que ela fique no passado" e siga em frente.
    Bjão!



    Cassandra:

    Que bom!
    O que eu disse acima serve para você também.
    Solte este seu amigo que não pôde ser o que você desejava, perdoe, largue a lembrança.
    Odiar só faz mal a você... Não acho a melhor técnica, principalmente para um longo tempo.
    Perdão é sempre melhor, perdão no sentido de soltar a lembrança emocional do evento, experimente!
    Obrigada!!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  17. Paixão é um sentimento único. Não da pra ser transferido.Podemos ter várias paixões. mas cada uma com sua identidade.

    O ser humano pode se adaptar, fazer de conta que esqueceu. Pode dizer que essa paixão é melhor que a anterior e que fez um bom negócio.

    Coitada na nova paixão vai pensar sempre que esta abafando.

    As cicatrizes existem para deixar bem claro que um dia ali houve uma ferida.

    Tudo bem... hoje em dia podemos fazer uma plástica para que os olhos não vejam mais aquela marca.

    O problema é quando fechamos eles.

    Parabéns pelo texto.

    MarquesK

    Só o Rock Alvia

    ResponderExcluir
  18. MarquesK:

    Nossa parece que você é fã de novela e romances açucarados, hein?
    Talvez você goste dessa versão da história...
    Eu acho trágico demais...
    Nós somos plásticos, mudáveis e tudo na vida se transforma, se você deixar. Inclusive o que chamamos de paixão. E uma não é mais importante que a outra, portanto novos amores são tão bons quanto velhos.
    Tudo é uma questão de crença, vivemos aquilo que acreditamos. Se quisermos podemos amargar uma paixão só ao longo de toda uma vida, mas acho isso um desperdício. rsrsr
    Bjão!

    ResponderExcluir
  19. Olá a todos
    Estou a passar por essa fase dificil e estes textos vieram ajudar-me.
    Também acredito que nunca esquecemos e que quanto mais queremos esquecer, mais lembramos.
    Nunca amei ninguém desta forma e está a ser muito dificil. Já passaram dois anos e ainda parece que foi no mês passado.
    Espero um dia voltar a ter paz e sorrir...
    Fiquem bem

    ResponderExcluir
  20. Pra mim, um bom método para esquecer uma paixão, é a decepção.Tiro e queda! agora, se a decepção não existiu, só um lencinho mesmo p/ enxugar as lágrimas rsrs ou seguir os seus conselhos!

    ResponderExcluir
  21. Nanda, seus textos são perfeitos para reflexão, mais ainda a colaboração dos seus leitores, que abrem um leque prá mais assuntos ainda... rsss isso não tem fim!!! Estou no processo de "tentar me desligar", isso é a razão quem manda, mas o coração alimenta o contrário... kkkkkkkkk... entaum escreve sobre a sua opinião sobre o que vc falou, que nós NÃO amamos, estou curiosa. Bjz., te adoruuuu!!!

    ResponderExcluir
  22. Amigo anônimo:

    Que bom o texto ter ajudado!
    Você precisa entender primeiro que vai sentir isso de novo, não tenha medo de se desapegar, coloque no pensamento que você já está solto e se abrindo para o próximo relacionamento. Saia do romantismo, uma paixão pode ser forte, mas não é eterna, isso é invenção dos novelistas! rsrsr
    Dois anos já é tempo mais que suficiente para transformar um sentimento, então se isso não aconteceu é porque você está segurando e alimentando, leia novamente o texto até você se convencer da verdade dos fatos.
    Boa sorte, ah! Recomendo um terapeuta, isso ajuda a você fazer a transição.
    Bjão!



    Maria Rita:

    Acho que sempre que queremos "esquecer" alguém foi porque ela nos decepcionou...
    A não ser por morte ou caminhos que são inconciliáveis.
    Lencinho sempre ajuda no começo, mas até ele tem tempo para sair do circuito! rsrsr
    Seguir meus conselhos eu não digo, mas testar o que falo é uma boa pedida!
    Bjão!



    Martinha:

    Oi linda! Obrigada!
    Quem alimenta na verdade é a razão também... rsrsr Ela diz que é impossível não amar aquela pessoa, que você não vai conseguir, que o amor é muito forte...Mas não acredite nisso!
    Toda vez que ouvir essa ladainha, diga: eu faço escolhas benéficas para mim, e limpo meu afeto para me preparar para um encontro mais refinado ainda!
    Sua sugestão está anotada! Esse é tema vespeiro, pois todo mundo acha que ama...
    Bjão!

    ResponderExcluir
  23. O ser humano é um bandeirante desbravandor de continentes do universo a procura de sofrimento.

    Uma vez adquirida a febre da paixão a pessoa se torna refém da impossibilidade de se tornar dono(a)do objeto escolhido.

    Se ninguém é de ninguém, por sermos humanos livres para fazermos escolhas e mudar de idéia quando chegar a mudança de estação. O que acontece quando dizemos, meu amor. Minha paixão, Você é meu(minha), eu sou seu (Sua)e etc ... Viramos objeto de prateleira ? Compramos ou fomos comprados ?

    Acredito que ninguém esquece uma paixão ou amor. apenas substituímos por outro. Fazemos do outro um clone virtual da paixão escolhida que se perdeu.

    Parabéns pelo texto

    MarquesK

    Só o Rock Alivia

    ResponderExcluir
  24. MarquesK:

    O sentimentos mudam assim como a gente, ainda nos afeiçoamos de forma possessiva, este é um embrião deformado do amor, estamos em processo de evolução, amamos de forma imatura, mas não é motivo para nos acharmos os piores.
    Temos potencial e podemos aprender se nos dedicarmos e reconhecermos isso.
    Aí então poderemos sair do nosso umbigo para enxergar de fato os outros.
    Obrigada!!!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  25. Tudo que escondemos, recalcamos uma hora vai voltar, e as vezes volta mais forte. O segredo então é sublimar.
    Sublimação é o melhor mais eficiente dos mecanismos de defesa, até o nome é lindo "Sublimar.."

    Amei esse texto!

    ResponderExcluir
  26. Raquel:

    Fico muito contente de vc ter gostado do texto!!!
    Não estava muito certa de ter entendido direito os conceitos psicanalíticos... rsrs
    Como vc é expert nisso, fiquei mais tranquila!
    Transcender um sentimento desconfortável é o melhor caminho para mim!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  27. Oi Nanda!
    No meu desespero, por esquecer uma paixão que está me acabando, li o seu post e achei muito legal. Mas vou te contar tá doendo muito! É um lance que se eu simplesmente lançar "aquele olhar", sabe aquele que diz: tô te querendo, sei que ele vam correndo, por que ele quer, e existe uma grande torcida.... eu finjo que não quero, porque eu acho que ele é um idiota! Mas tem alguma nele que me facina, que ta não sei o que é. Já se apaixonou por alguém que é o averso de tudo o que sempre quis, que não tem nada a ver com vc? Ele é o oposto de tudo! Mas não consigo tirar da minha cabeça. Eu preciso esquecer. Eu o quero! Tenho medo. Não sei o que fazer. Quando li que esquecer pode ter o prazo de 12 a 18 meses.... meu Deus!
    Ninguém sabe do que sinto. Nanda se vc tiver algo que possa me dizer... que possa me ajudar...

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!

      A grande sacada deste texto é vc saber que isso (a paixão) pode ser superado. Às vezes a crença de que não podemos algo nos impede de realizar. Então o que eu quis fazer aqui é dizer as pessoas que não precisam ficar aprisionadas em suas paixões pra sempre. No entanto é preciso muita força de vontade e tempo pra isso. Tenho uma técnica que chamo de "desligar os aparelhos do amor moribundo". Devagar vamos descolando da imagem do outro e o interesse vai morrendo até dar o último suspiro. Sugiro que procure ajuda profissional fica mais fácil.

      E lembre-se, o amor não é pra machucar e fazer vc sofrer, se isso está acontecendo com muita frequência e a pessoa que lhe atrai não vale a pena, o melhor é se afastar mesmo. Deixe o sofrimento para ler num bom livro.

      Eu nunca me apaixonei por quem não tinha nada a ver comigo, mas já me apaixonei por quem não se apaixonou por mim. Sei que não é o mesmo, mas dói também. Apaixone-se primeiro por vc.

      Boa sorte, e qualquer coisa escreva, ficarei contente de ajudar. Xero!!!

      Excluir
  28. Obrigada por responder. A propósito, gostei da sugestão: "Deixe o sofrimento para ler num bom livro."

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi um prazer! Espero que se recupere e volte a amar alguém que colabore com sua alegria. Volte sempre ao blog. Aceito sugestões de temas pra texto. Então fique à vontade de fazer pedidos. Xero!

      Excluir
    2. Foi um prazer! Espero que se recupere e volte a amar alguém que colabore com sua alegria. Volte sempre ao blog. Aceito sugestões de temas pra texto. Então fique à vontade de fazer pedidos. Xero!

      Excluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.