quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Ao Sucesso



Assistindo a uma palestra, inspiradora, de Steve Jobs, saí coma impressão de que seguir e intuição e o que realmente queremos fazer nos levaria inexoravelmente ao sucesso material... Acho que por que foi assim com Jobs. Ele teve altos e baixos em sua vida e pelo que entendi, aproveitou os baixos para mudanças de rumo importantes que o levaram a patamares maiores em sua trajetória.

Pois bem, estava eu nesta linha de raciocínio quando lembrei de van Gogh... Ele também seguiu delirantemente seus impulsos e não conquistou, enquanto existia num corpo, o mesmo sucesso profissional. Você pode me dizer; são pessoas diferentes, histórias diferentes, mas o conselho estava lá e era o mesmo.

Parece que apenas seguir o impulso de seus desejos não é a saída para a conquista material. O pulo do gato nem Jobs sabia, ele apenas relata o acontecido com ele. Mas essa não é uma linha reta, racional e óbvia. Porque tem pessoas que conseguem vencer o mundo material produzindo muito mais do que precisam para viver bem e outras não?

Bom, de qualquer forma, pobre ou rico, o importante é saber se estamos satisfeitos com nossas vidas. A pergunta é: Gostamos de ser quem somos? Se fosse morrer amanhã, faria o que tenho para fazer hoje? Ou mudaria o rumo? Talvez isso seja mais importante do que ser rico, acredito eu, Jobs e van Gogh eram iguais nisso.

Namasté!

3 comentários:

  1. Bela reflexão. É como diz Aline, da Cidade das Pirâmides, “A verdade dói, mas te torna consciente e a um passo para a libertação”. WWW.deolhonomundo.com Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!!

      Sim, mas não dói pra sempre! rsrs E o ganho é real. ; )

      Excluir
  2. Perfeito Nanda! Graças a Deus,né?! rsrsrs e como o ganho é real! Abraços.

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.