domingo, 13 de novembro de 2011

Em Silêncio






Este texto é para uma pessoa (@lima_meira) que acompanha o blog em silêncio... É uma tentativa, talvez, de destrancá-la. Perguntei a ela porque não comentava aqui, ao que me respondeu:

“Bom, é que às vezes acho minhas observações “depressivas”, infantis ou repetitivas.”


E parece que isto a envergonha, a ponto de não se sentir à vontade de se expressar. Bom, pedi permissão para abrir seus sentimentos aqui, até porque me identifiquei com seu comportamento. Há alguns anos atrás meu apelido era “mudinha”, pois entrava muda e saía calada... E eu tinha o mesmo problema, vergonha de expressar minha opinião!

Eu também tinha uma autocrítica feroz. Eu depreciava tudo que pensava; era pior que os censores da época da ditadura, cortava tudo e no final não sobrava nada a ser dito. Eu poderia dizer que melhor é fica em silêncio do que falar besteira, que o silêncio é ouro e tudo mais. Porém o meu silêncio não era sábio, era medroso, era fruto de crueldade comigo mesma.

Precisei de muitos anos de terapia para poder apreciar aquilo que penso, as minhas opiniões. Levei muito tempo para aprender a me apreciar, me elogiar, gostar de ser quem sou. Já mudei muito minhas opiniões e olhando para trás, vi que já falei muita besteira, mas fazia parte de quem eu era naquele momento, então, tudo bem!

Penso que o primeiro passo para mudar é aceitar minhas ideias como são de início e com o tempo ir melhorando-as se for preciso. Como se fosse um escultor diante da matéria prima.

Conversei muito com meu censor interno e o fiz ver que não dava para ser o gênio que eu não era e que eu não precisava ser genial ou inteligentíssima, para poder me expressar. Eu não precisava impressionar os ouvintes. Não precisava dar um show.

Eu podia ser ignorante e falar “besteira”. Eu me permitir ser burra ou “depressiva”, infantil e repetitiva... Eu me dei permissão para ser menor e gostei disso.

Jogo a idéia para a vida, se ela for boa, fica do jeito que está, se não for, a vida se encarrega de melhorá-la. Não é mais minha função torná-la perfeita, eu posso descansar.

@lima_meira joga as suas idéias, como Rapunzel joga as tranças e deixa ver o que acontece. Se quiser treinar aqui no blog eu vou recebê-la com muito carinho; é um compromisso.

Namasté!

Leia também:


20 comentários:

  1. disso não padeço…rs
    sempre gritei e bradei tudo que tive vontade!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei surpresa com a resposta da @lima_meira, até pq é na fala dela, nos conselhos e nas palavras de conforto e encorajamento que me faz enxergar as coisas por outro ângulo!
    Nandinha, como sempre você arrasa nos seus textos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Maggie:

    Que bom!
    Espero que isso tenha trazido benefícios para vc!!! rsrs
    Bjs!!!



    Nanda:

    Pois é... O bom de gente muda é que quando falamos somos sensatos! rsrs
    Mas fica mais fácil quando falamos para uma pessoa que confiamos!
    Obrigada!!! Agora eu posso arrasar!!! kkkk
    Xero!

    ResponderExcluir
  4. Ei Nanda,
    Bom dia,

    Já me senti limitada por mim mesma em expressar minhas palavras idéias,uma vergonha, um medo de ser mal interpretada ou criticada, sei lá, monstros interiores que nos privam de libertar o que realmente pensamos corajosamente, sem se importar com que vão pensar.E via que eu mesma não tinha certeza que eu era capaz, porque tinha receio de expor o que penso,e foi longa a caminhada, mas hoje como você a aconselhou joguei minhas tranças e pronto,não precisamos nos ocultar se temos a capacidade de nos expressar, errado ou certo, inconveniente ou não eu arrisco...

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. oi Nanda, realmente, muitas vezes é difícil para algumas pessoas expressarem suas opiniões.
    Acho que sua atitude de colocar essa situação com essa moça a ajudará a refletir...
    abs

    ResponderExcluir
  6. Incrível seu texto! É isso aí, sem medo de se expressar. Somos aquilo que pensamos, e não devemos ter vergonha disso, mesmo que futuramente venhamos a mudar de opinião. São essas mudanças que nos constóem, também!

    Parabéns!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Olá!!!
    Me identifiquei bastante com o seu texto. Meu ponto de partida para uma pequena mudança ser percebida foi iniciar meu blog. Pessoalmente ainda travo um pouco.
    Excelente texto.
    Bjs... :)

    ResponderExcluir
  8. Perfeito, Nanda! Eu também já vítima do excesso de auto-crítica! Quando me vi livre da auto-crítica e começei a falar o que pensava, muitas pessoas começaram a me achar inconveniente! Mas respondo: Sim, gente, sou inconveniente! Mas esse sou eu! Eu sou assim! Doa a quem doer!
    E tenho me dado bem! Pelo menos fiz as pazes comigo mesmo! heheh
    Abração!

    ResponderExcluir
  9. Cecília:

    Parece que minha turma de mudinhos é maior do que eu pensava... rsrs
    Pelo menos é coisa do passado.
    Estou aprendendo também a pedir licença para expressar a opinião se esta for direcionada a uma outra pessoa.
    Devemos nos expressar, mas não podemos ser invasivos.
    Bjs!



    Ana Lúcia:

    Esta é minha intenção. Estou jogando as tranças! rsrsr
    Bjs!



    Larissa:

    Obrigada!!!
    Sem vergonha e com opinião! E com flexibilidade também. rsrsrs
    Bjs!



    Bel:

    Oi!
    O blog é um passo e tanto, pois você se expõe a milhares de pessoas que podem gostar ou não do que fala.
    O exercício é que faz a gente ser mais fluido, então não pare!
    Bjs!



    LandNick:

    Obrigada!!!
    Olha só! Você vive me surpreendendo!!
    Acho que você está muito bem agora!
    Inconveniente... O que é? Você fica levantando os tapetes do povo, é? rsrs
    Mostra o que as pessoas querem esconder?
    Bom, alguém tem que fazer o serviço, né? Se você está podendo e não é cruel... Siga derrubando todos os altares que der! rsrs
    Estar em paz consigo é a maior riqueza de um ser humano!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Olá minha querida amiga Nanda, boa noite!!!
    Minha amiga, acho que sou o contrário disso tudo, falo muito e não tenho nenhuma vergonha de expressar a minha opinião, bom... mas isso acho que a amiga já sabe... acho que vem da família, uma porção de italianos faladores e brincalhões... mas sei muito bem a hora de usar o silêncio quando necessário! Belo texto minha amiga, adorei conhecer este outro lado!
    Tenha uma ótima noite e um maravilhoso e abençoado feriado!
    Beijos com carinho e muita paz!!!

    ResponderExcluir
  11. Perfeito, Nanda.
    Tudo falado e escrito na medida.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  12. Dú:

    Oi querido!
    Que bom, vc poder se sentir livre para expressar-se, mas o bom mesmo é ter equilíbrio, no falar e calar. rsrs
    Bjs!



    Anna:

    Oi linda!!
    Que bom vc ter gostado!!!
    Obrigada!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Oi Nanda

    Existe uma cobrança muito grande para que as pessoas se expressem desta ou daquela maneira.
    Quem já não ouviu a famosa e irritante frase "Como ela é quietinha" ou então aquela observação infantil (de quem não observa além do estereótipo), depois de falar um palavrão ou coisa parecida "A fulana (quietinha) vai ficar horrorizada" Como se a pessoa fosse uma anormal e não falasse palavrões também, não fizesse sexo ou não ousasse. Aliás, observo (via de regra) tanta gente que se mostra "expansiva" e é totalmente travada...
    A verdade é que o ser humano é um ser completo e complexo. Pode ser assim ou assado, pode ser diferente hoje e igual amanhã, pode ser expansivo por fora (defesa) e inseguro por dentro, pode não expressar algo da maneira que os outros querem, mas da sua maneira e por aí vai.

    Abraços
    Balaio Variado

    ResponderExcluir
  14. Balaio Variado:

    Também penso assim, trabalho para a ampliação da consciência de que o bom mesmo é ter liberdade para ser quem é! rsrs E também para aprendermos que isto não atrapalharia as regras de convivência.
    Podemos permitir cada vez mais as individualidades.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Nanda,

    Eu leio muito conteúdo sem dizer nada. Muitas vezes eu simplesmente pouso meus olhos, leio, penso, e nada respondo. Depende do tempo e disposição que tenho.

    Só que para algumas pessoas é bastante complexo colocar para fora o que realmente deseja, nem sei se tem a ver com uma vida privada e/ou censurada, ou mesmo a timidez.

    BEIJOS

    ResponderExcluir
  16. Olá Nanda !!

    Amei o tema da postagem !!
    Uma vez escrevi sobre a importância da interação, mas numa visão mais pro lado de ajudar o blog, mas nela menciono este tipo de leitor, ele ás vezes vê vários comentários que já dizem o que gostaria de falar, ou então comentários muito elaborados e grandes e acaba ficando com receio de dizer bobagem ou ser irrelevante.
    Mas nenhuma palavra deixada em um blog é irrelevante, mesmo que seja um gesto de carinho do tipo, oi, gostei muito, estive aqui, vim te deixar um beijo , etc, blogueiros amam demais esta interação.
    Eu era bem fechada antes de ter o blog, aliás ao vivo ainda sou, alguns blogueiros que me conhecem pessoalmente até se espantaram com o fato de que sou tímida e quieta... Mas a blogosfera me ajuda muito com isso, aprendi a me soltar, a escrever bastante e o mais importante a ter orgulho de minhas participações, mesmo quando as acho esquisitas . Pra mim isso é uma vitória que espero levar também para fora do meio virtual.
    Espero que a postagem inspire não só a pessoa que mencionou, mas muitos outros que tem estes receios :)

    Um beijão e bom fim de semana !

    ResponderExcluir
  17. Sissym:

    Quando nosso silêncio não é fruto de auto repressão, então tudo bem!
    O ruim é quando nos sentimos impedidos.
    Os fatores que nos levam a isso são complexos e interligados, não há uma causa só...
    Bjs!!!



    Samanta:

    Oi linda!!!
    Obrigada!!!
    Verdade, para quem escreve a opinião do outro é ouro!
    Eu melhorei muito, mas em lugares estranhos e novos eu ainda demoro a abrir a boca. rsrsr
    Eu também tenho esperanças, mas até agora ela Lima_Meira não se manifestou por aqui... rsrsr
    Bjs!

    ResponderExcluir
  18. ola vim conhecer seu espaço , sou um dos seus amigos na red dihitt , gostaria de q vc tbm conhecesse o meu e por favor se poder me segue ok espero vc lahclica para entra no site

    ResponderExcluir
  19. Paz com Deus:

    Obrigada pela visita!!!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  20. Oi, Nanda, minha pequena flor!

    Eu li e reli este post algumas vezes. E acho que finalmente fez efeito! rsrs As coisas levam certo tempo para amadurecer dentro da gente, né?!

    Bom, na ocasião eu fui tocada. Parei, senti certo desconforto, refleti o porquê de me sentir e assim e percebi que você foi precisa na sua conclusão: a autocrítica estava me sufocando! É como se tivesse colocado methiolate na ferida: arde, mas cura! rsrs

    Foi (e está sendo) um trabalho árduo de autoaceitação, de respeito às minhas ideias e a ser como sou e posso ser, de observação dos argumentos "depressivos" e de entender que eu não preciso ser perfeita 100% do tempo... Mas isto estava tão impregnado em mim, que até nas mínimas coisas eu exigia exatidão!

    Esse novo olhar acarretou mudanças em vários setores da minha vida, e te digo que ainda carrego as impressões dessa leitura aqui comigo! Sempre que me percebo a sufocar por não ser o que gostaria, respiro, reflito e volto um passo atrás! Mas esse retorno não é no sentido de retrocesso, é no sentido de "articular o tamanho do passo adequadamente"!

    Que bom que está tudo escrito aqui e que posso voltar a ler sempre que começar a sucumbir! Sou realmente muito grata pela ajuda! Esse seu olhar a respeito de um "simples" comentário, abriu a janela da liberdade na minha vida!

    Deus te abençoe sempre!
    Um abraço bem apertado!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.