segunda-feira, 13 de abril de 2009

Os Santos do Capitalismo


" O capitalismo americano consegue, não só gerar riquezas astronômicas como também devolvê-las de forma solidária e produtiva à sociedade."
Fonte:Revista Veja


Essa matéria me chamou a atenção, por falar de uma nova filantropia. Animou-me saber que estamos criando novas estratégias, mais modernas, para o equilíbrio financeiro mundial.

É certo que as entidades de combate à pobreza existentes, não estão dando conta, já temos mais de vinte e cinco anos, por baixo, de investimentos nessa área, e não me parece que foi eficiente, a impressão que dá é que para dez pessoas "salvas" vinte se perdem e nossas filantropias não estão dando conta de uma "caridade" baseada na religião.

Temos como base para filantropia a caridade católica, vinda do século V, a qual, tem o objetivo de salvação do caridoso. E se sustenta numa "visão fatalista que presume que o necessitado nunca levantará a cabeça". O bom católico, na esperança de salvação da alma, ajuda e termina mantendo o necessitado no mesmo lugar, quando olha para ele como um incompetente para gerir sua vida .

Numa nova filantropia, as ações são guiadas pelos critérios empresariais tendo como princípios a auto-suficiência, eficiência, foco, transparência. Não estou dizendo que certamente irá funcionar, mas acredito mais numa ação que olha o outro e diz "você é capaz!" do que " você é um coitado".

É a velha estória de dar o peixe ou ensinar a pescar, atualizada. Neste momento rezo para que essa iniciativa funcione, quero ver pessoas vivendo para realizar sua plena potencialidade e não esperando por um salvador.


Para ler a matéria clique abaixo:
http://veja.abril.com.br/050706/p_060.html

8 comentários:

  1. Coitado do governo se isso pegar, pois nosso governo adora criar incapazes, que necessitam do apoio do governo para sobreviverem, e em troca desta subsistência votam nos mesmos que os mantém lá.
    Quando as pessoas tiverem noção que podem qualquer coisa, esse mundo melhorará muito.

    ResponderExcluir
  2. No Brasil é comum confundir assistência social com assitencialismo, em particular neste Governo Lula em que a barganha tenta camuflar a corrupção e o escandaloso saque aos cofres públicos.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  3. oi amiga...
    sobre a blogagem coletiva, vc deve ir ao link que passei no meu blog e pegar um dos selos e postar como eu postei no meu. se quiser pode copiar e colar, ou vc pode incluir algo mais que achar interessante. espero ter solucionados suas duvidas, se não pode perguntar de novo...

    bjocas

    ResponderExcluir
  4. Hola Nanda tienes mucha razon en lo que dices,si bien hay algunas cosas que no entiendo por el idioma, entiendo la idea central " maldito capitalismo".

    Todo debemos unir nuestras manos para ayudar a quienes no tienen.

    saludos Nanda!

    Muchas gracias por tu visita en mi blog

    ResponderExcluir
  5. ACHO QUE ESSE ESTÍGMA QUE NOS ACOMPANHA DESDE QUE AS RELIGIÕES, PRINCIPALMENTE A CATÓLICA, INSTITUIU A "CARIDADE" COMO MOEDA DE TROCA PARA O BOM CATÓLICO ACESSAR O CÉU, TEM ACENTUADO A BAIXA ESTÍMA NOS POVOS QUE SE ACOMODAM COMO COITADINHOS E PASSAM A VIVER DESSA "CARIDADE".
    É MUITO IMPORTANTE MUDAR ESSA FORMA DE AUXÍLIO AOS MAIS POBRES E É FUNDAMENTAL RESGATAR EM TODOS SEUS POTENCIAIS, FORÇA E CAPACIDADE DE SE SUSTENTAR E SER RESPONSÁVEL POR SUA PRÓPRIA VIDA SEM DEPENDER DA "CARIDADE ALHEIA".
    NAMASTÊ

    ResponderExcluir
  6. OS EUA são os maiores genocidas da historia do mundo
    ja fizeram milhares de guerras só pra manter o sistema capitalista. Não que eu seja socialista, alias eu acho o socialismo pior. Mas o capitalismo americano é tudo menos santo. Perdão a sinceridade
    bjus

    ResponderExcluir
  7. Este capitalismo perverso que nos rege vem se aperfeiçoando negativamente, desenvolvendo no ser humano ainda mais o egoísmo estimulando o ter em detrimento do ser.Só uma visão mais espiritualizada no sentido de volorizar mais o "ser" poderá reverter um problema que se encontra dentro de nós e que tem seu reflexo em todas as áreas da atuação humana.Infelizmente não vejo a contribuição das grandes fortunas ainda com bons olhos.Na maioria dos casos é uma forma de obter vantagens burlando o sistema,mais não deixa de ser importante.Esta questão humana é tão complexa, que eu por exemplo conheço o caso de uma pessoa que tinha uma condição financeira muito difícil e que era capaz de dividir o pouco que tinha com os seus vizinhos quando havia necessidade,porém este foi contemplado com um prêmio e automaticamente já mudou o comportamento,passando a ver ao seu redor não mais os seus colegas de "copo e de cruz" e sim praváveis aproveitadores de seu pequeno e novo numerário.O que me leva a acreditar que seu comportamento anterior ainda não era altruista e sim uma tática de sobrevivência.Quantos de nós pode dizer que agiria diferente?Não devemos negar o nosso egoismo e sim reconhecê-lo e tratá-lo.Muita paz para todos.

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.