quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Fora de série – Outliers


Malcolm Gladwell
Tradução: Ivo Korytowski
Rio de Janeiro: Sextante, 2008
283p



O autor traz uma teoria interessante. Ele mostra, baseado em pesquisas, histórias de pessoas de sucesso e coincidências numéricas, que o sucesso de um se faz em grupo. Gladwell tenta derrubar o mito do “homem que se faz” sozinho. E afirma que a conquista de uma pessoa, se deve a vários fatores, inclusive época em que nasceu.

A cada capítulo acrescenta um desses fatores que segundo ele, colaboram para o desenvolvimento de um ser humano e diz que se prestássemos mais atenção a esses detalhes mais pessoas poderiam ter sucesso.

Gladwell abre o livro explicando o que é um outlier (fora de série) contando a história de uma cidade americana, habitada apenas por imigrantes italianos, que não morriam como a maioria dos americanos (por infarto). Segundo um pesquisador isto se devia a sociedade que eles criaram, “uma estrutura social altamente protetora que era capaz de isolá-los das pressões do mundo moderno” O pesquisador criou uma nova associação para explicar a saúde da população: saúde/comunidade e mostrou que o grupo onde se vive influencia no indivíduo.

Ao longo do livro o autor vai explicando sua teoria. Os fatores que ele vê como contribuição do sucesso de alguém: a época em que nasceu a pessoa, o tempo que ela passou treinando uma habilidade, a forma como ela foi criada pelos pais, em que etnia ela nasceu, profissão dos pais, etc.

Gostei muito dessa idéia e acho que vale a pena pensar nela. Não somos só indivíduos, também somos grupo e a forma como vemos isso interfere no crescimento. Podemos todos ajudar a termos mais pessoas criativas, fora de série, no mundo e isso é bom!

Boa leitura!

Leia também:
Educar um filho exige muita consciência de si
Você está louco!

7 comentários:

  1. Boa dica, Nanda. Importante mesmo criar pessoas que pensem mais. Já reparou nessa geração, que tem uma mente extremamente preguiçosa? Encontra tudo pronto. Não pesquisa lendo, observando e escolhendo. Clica, seleciona, copia e cola. Temos que fazer algo mesmo. Abraços

    ResponderExcluir
  2. Mari:

    Obrigada!
    Mas lembre-se que não são todos assim. Talvez falhemos na instrução das pessoas; nem todos gostam de aprender lendo ou refinando o intelecto. Alguns aprendem observando ou fazendo. Acho que nós ainda queremos unificar algo que é por natureza diverso, os seres humanos! rsrs
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Nanda, voce sabe que a autora de Harry Potter sempre direciona os numeros para a casa 11? É muito interessante isso!

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Nanda, por aqui tmb mudou muita coisa hein?? La no ENF, continua o mesmo, so o foco aberto para a leitura, e conto agora como novo colaborador. Assim, as postagens podem acotecer, como as resenhas de livros e afins, mas as dicas, atualidades e afins continuam... hehehe

    bjos

    Philip Rangel
    http://entrandonumafria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Sissym:

    Eu não entendi... O que isto significa?
    Bjs!



    Philip:

    Eu tenho mudado de vez em quando o template, para variar. rsrs
    Eu achei que também tinha coisas para download em seu blog agora.
    Estou retomando as visitas aos blogs conhecidos, passei mais de um ano sem fazer isso.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Olá amiga Nanda, belo texto,nem todos aprende ou assimilam as coisas ou aprendem com determinado método, as diferenças existem, cada um é diferente do outro, os caminhos da aprendizagem também.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Fátima:

    Oi linda!
    Obrigada!
    Os caminhos humanos são diferentes pois as pessoas são únicas. Cada um tem um caminho próprio trilhado praticamente sozinho.
    Bjs!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.