quarta-feira, 6 de maio de 2009

Treinando a Emoção para ser feliz





Augusto Cury
2ª Edição
São paulo:Academia de inteligência, 2007
176p.
ISBN 978-85-60096-16-9
Copyright academia de inteligência, 2004


Livro de um autor já consagrado, em auto ajuda. O que me chamou mais a atenção neste volume foi o título, principalmente a palavra treinamento, gostei da idéia de poder treinar a emoção. Fomos educados para acreditar que a emoção é algo" mais forte que a gente" e que devemos ser jogados de um lado para o outro por ela sem direito a reclamar.

Neste livro o autor começa dizendo que você é maior e poderoso, porque venceu o maior concurso da história. O maior concurso é a corrida que o espermatozóide faz até o óvulo. Uma parte de você venceu todos os obstáculos e milhões de concorrentes, portanto você é poderoso! Acorde para isso!

Depois ele passa a dizer o que é treinar a emoção, que é desenvolver as funções da inteligência, tais como, aprender a gerenciar os pensamentos, o meu preferido, adorei essa idéia de poder gerenciar pensamentos, ou proteger a emoção nos focos de tensão, dentre outros.

Cury se baseia em teorias próprias criadas através de anos de estudos sobre o funcionamento da mente, o que ele chama de Inteligência Multifocal; amplamente explicada em outros títulos dele.

Na segunda parte ele discorre sobre Jesus Cristo, a quem chama de Mestre da Emoção, para exemplificar como a inteligência pode ser usada no dia a dia.

Gostei muito da possibilidade de usar técnicas para treinar as emoções, saber que podemos fazer isso é fantástico, precisamos lembrar disso todos os dias. E ele ainda dá várias técnicas com sugestões para gerenciar pensamento e emoção, rejuvenescer emoções, treinar emoções e a arte de pensar para trabalhar em equipe, treinamento para a educação participativa( Essa pode ajudar muitos professores) e técnicas para navegar nas águas da emoção .

Penso que o autor é um homem dedicado ao aprimoramento humano, coisa que me interessa muito . E diz claramente: Sim , nós podemos!


Boa Leitura!

10 comentários:

  1. Oi Nanda B.
    Diante do teu entusiasmo com a receita de felicidade do senhor Cury, pensei em não me manifestar. O meu instinto polêmico, porém, impôs a sua presença (adoro remar contra a maré). Assim, vou dialogar com o teu post. Desde já, aviso, vim pra complicar. Caso a audácia seja por demais inconveniente, exclua meu comentário. Não vai doer (muito). Então, lá vou eu:
    1. Não me considero um vitorioso por ter ocupado o primeiro lugar na corrida até o óvulo. Acho, isto sim, que fui rabudo (sortudo, segundo o linguajar do RS), especialmente considerando o que aconteceu depois - o macho e a fêmea que geraram não foram os pais que me criaram. Resvalando na arrogância, ouso dizer que os designios divinos (sorte?) facilitaram o desenvolvimento das minhas melhores potencialidades, aliando desejo e talento de escrever à compreensão e apoio de genitores alheios ao mundo das palavras, mas preocupados em cevar a felicidade da sua descendência afetiva (um laço mais poderoso que o de sangue).
    2. Na minha opinião, "gerenciar pensamentos, treinar emoções ou proteger a emoção nos focos de tensão" são conceitos sisudos, pretensamente densos, mas na verdade superficiais, que não se coadunam com a materialidade dos desafios que se apresentam nas vivências do nosso cotidiano - invariavelmente caótico quando transformamos a vida numa trajetória pontuada pela intensidade da paixão.
    3. Desfrutar a plenitude da existência implica em reconhecer e aceitar a nossa condição simultânea de seres imperfeitos; minúsculos santos e demônios, alternadamente. Ocasionalmente, de acordo com as circunstâncias, bons e maus. Isto nos faz humanos. Aí reside a dor e a delícia de cada um de nós ser o que é.
    4. Concluindo, acredito que o nosso destino apenas em parte está pré-determinado quando do nosso nascimento. O começo está escrito nas estrelas (as condições iniciais que Deus dá); o resto - o meio e o fim - depende do que fazemos com o que Deus nos deu, através dos nossos pais. Acredito que é ilusão que, a partir da educação inicial (formal e existencial), possamos conduzir nossas ações com lógica e frieza cartesianas, domando a rebelião das emoções e mantendo sob controle as labaredas das paixões. Somos animais de sangue quente - a insatisfação é que nos faz crescer.
    De minha parte, me sinto realizado por manter aberta a trilha existencial iniciada por meu pai, um contínuo de banco (negro, importante frisar) que, temerariamente desprezando a razão sociológica e privilegiando o sonho igualitário fez do filho (eu!) o primeiro diplomado universitário do clã dos Silva. No meio do ano, minha filha vai dar continuidade a esta tradição recém inaugurada. Lá do Céu, o Velho vai estar sorrindo. Não esperava menos de mim. Nem eu. Viemos ao mundo para nos divertir e deixar a nossa marca.
    Assim caminhamos alguns de nós: pro alto e avante - e, neste caminho, nos deparamos com pessoas intrigantes como você, Nanda B., que nos fazem falar demais.
    Ninguém é perfeito. Maior é Deus; pequeno sou eu.
    Um beijo.
    Um beijo.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Eu estou lendo o livro, Vendedor de sonhos. Também é maravilhoso. Mas valeu a dica.logo estou terminando essa leitura. Quem eu compro também mais esse. Pois já tenho 5 livros dele. Tudo o que ele escreve é maravilhoso.
    Sandra

    ResponderExcluir
  3. Oi Nanda,
    Quanto tempo,ando meio enrolada, mas já votei no seu blog,
    Bjinhos e sucesso

    ResponderExcluir
  4. Nanda, deixei um selinho no blog coletivo para vc. Passe lá.
    Sandra

    ResponderExcluir
  5. Oii Nanda....nao tinha lido nao...sempre venho aki buscar esses livros e acabo pegando ou comprando....muito bom mesmo...


    no top blog...estamos concorrendo ao mesmo..penso nos ganha...voto em vc todo dia..venho aki pra da uma clicada..nos meis 4 e mails...hehehe

    vamu la....bjaoo

    ResponderExcluir
  6. Já li um dos livros dele, muito bom mesmo. Me lembrarei de procura-lo para ler.
    Adorei seu blog, e obrigado pelas palavras no meu. Fico feliz em ter gostado!
    Voltarei mais vezes por aqui!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Oi Nanda muito obrigada por seu carinho e pelo interesse em acompanhar o blog. Como a lista de blogs que eu acompanho já está bem extensa, vou linkar o seu porque tenho receio de não conseguir dar a devida atenção a todos se eu estiver seguindo muitos blogs. Vamos manter contato. Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Assim você vai acabar me transformando numa leitora! rsrsrs
    Faz um tempinho que não leio livros assim. Só os de estudo e textos para trabalhos...
    Mas já conhecia Augusto Cury e paquerava seus títulos. Esse aqui é um daqueles que eu "preciso ler"! rsrsrs

    Um beijão e ótimo meio de semana!

    ResponderExcluir
  9. Dani:

    Legal! Acho o tema interessante, treinar-se para ser feliz é algo mais possível do que aquela antiga coisa de ser feliz como um sonho...
    Espero que goste, e me conte o que achou!
    Bjão!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.