quarta-feira, 12 de maio de 2010

O óculo da paixão




A paixão não é um óculo perfeito para todo tipo de paisagem.



Avaliar fatos com essa disposição sempre nos leva ao exagero... A tomar partido e muitas vezes a sermos injustos. A paixão só deveria ser usada para diversão. O olhar apaixonado muitas vezes é estúpido, porque é cego, é parcial, limitado, não consegue enxergar todos os lados.

Vejo pouquíssimas pessoas com lucidez suficiente para avaliar situações de uma maneira menos quente. E acho que essa forma de visão poderia ajudar muito na convivência de diferentes. Uma percepção clara das coisas facilitaria o entendimento e a chegada de acordos. Coisa de que nosso mundo carece.

Tem muita gente querendo falar e poucas pessoas querendo ouvir. Tem bastante indivíduos querendo ser aceito, mas poucos aceitando, há um desequilíbrio. E para mim desequilíbrios de longo tempo se transformam em doença.

Eu não digo que os óculos da paixão não devem ser usados, mas que em algumas paisagens ele distorce tanto que atrapalha. Portanto escolha o lugar certo para usá-lo, por exemplo, numa praia curtindo o sol e o mar, numa noite de amor, dançando, ouvindo uma música, escrevendo um poema... Mas quando for olhar o comportamento de uma colega de vida, quando for entrar num acordo, avaliar o trabalho de alguém; tire-o e enxergue mais amplo.

Namasté!

Leia também:
Quem quer ser feliz
Experimente cair?!
Dalits

2 comentários:

  1. Os amigos nos comovem com carinhos.

    Não medem esforços para nos ajudar;

    Fazem de tudo, não nos deixam sozinhos.

    Até em milagres nos fazem acreditar!

    Boas energias sempre!

    Mari Amorim

    ResponderExcluir
  2. Mari:

    Obrigada!!!
    Boas energias para vc também!
    Bjão!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.