sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Apresentando a namorada



Há algum tempo atrás atendi um pai cuidadoso recém separado que estava se interessando por uma moça e começou a se perguntar se o negócio ficasse mais sério, como seria melhor aprensenta-la a sua filha? Algumas coisas me vieram à cabeça e terminei escrevendo um texto de dicas, que são sugestões para iniciar uma reflexão e não regras para serem seguidas.

A primeira coisa que surgiu foi perguntas:

1. Como anda a relação com sua filha? Vocês conversam? Têm intimidade? Vêem-se com freqüência? Brincam?
2. Como estão seus sentimentos em relação a ela e a sua separação? Sente culpa? Acha que fez mal a ela quando se separou? Separou-se com mágoa?
3. Como é a sua relação com a mãe da criança?
4. Quais são suas ideias sobre separação e novo namoro? Sente-se à vontade? Tem vergonha? Acha-se errado?
5. A namorada gosta de criança? Está interessada em conhecer sua filha?

Depois de fazer essas perguntas irá conhecer-se melhor em relação a esse episódio e poderá ter mais controle sobre a situação. Agora às dicas:

Acho importante agir com naturalidade, apresentá-la como amiga primeiro e fazer um programa para a criança. Deixe as duas interagirem, se conhecerem, estimule as duas a conversarem, brincar. Encontre pontos em que as duas gostem e aproxime-as.

Não fique muito junto da namorada, para que sua filha não fique insegura com relação ao seu afeto, ela deve entender que é muito importante e que não vai ser trocada. Explique para a namorada que nos primeiros encontros não poderá ser tão atencioso com ela, que isso vai ser feito aos poucos. Sua filha tem que sentir que não vai perder seu lugar de importância.

A postura da namorada também é importante. Ela deve ser próxima, carinhosa e atenciosa. Talvez fosse legal levar um presente, do gosto da criança, como prova de boa fé. Peça que ela dê atenção, inicialmente, só para a criança. No primeiro encontro não devem ser namorados, mas amigos da criança, ela deve ser o centro, aos poucos isso vai sendo deslocado.

Só apresente a namorada quando tiver certeza que o namoro vai ser longo, que você se dá bem com a moça, ficar apresentando muita gente não é bom.

Acho importante que a criança saia desse encontro ainda mais convencida de que ela é a pessoa mais importante da sua vida. Diga o quanto a ama, dê atenção, mas sem deixá-la dominar, afinal o adulto é você e ela precisa de sua firmeza e segurança.

Procure um passeio que a criança goste, mas um lugar onde possa haver interação (parques, zoológicos, museus, livraria, clubes, lanchonetes, jogo de futebol, etc.)

Com o tempo vá dizendo que gosta muito da moça e que a está namorando e pergunte se ela gosta também, incentive o relato dela, deixe falar ou desenhar o que sente, deixe ela segura de que nada mudará entre vocês. Que ela não vai magoar a mãe se aprovar a relação. Acolha a frustração dela, por não poder mais sonhar com a reconciliação dos pais, explique que gosta da mãe dela de um jeito diferente.

Se ela for contra, faça-a entender que respeita sua opinião, mas quem conduz sua vida é você. Afirme que a ama e que ela é importante e dê um tempo, depois volte ao assunto, sempre a deixando segura de seu amor por ela.

Acho que fazendo assim tem mais chances de você formar uma amizade entre as pessoas envolvidas, como disse não são regras e sim sugestões de atitudes para facilitar um momento complicado. Boa sorte!

Namasté!

Obs.: Isso serve também para uma mãe apresentando um namorado. Para casais homossexuais, se a criança já souber da orientação sexual dos pais, é igual, mas se não souber, tem mais coisas, mas só outro texto para complementar, quem tiver interesse é só pedir!

Leia também:
Guia para pais com pouco tempo e muito carinho
Educar é contar histórias

2 comentários:

  1. Nanda,

    Adorei a matéria! eu e minhas enteadas nos damos mto bem. Elas me respeitam e eu tb as respeito!
    Elas vivem com a mãe, mas do jeito que as coisas andam caminhando, acho que o marido irá ficar com a guarda delas...


    bjo

    ResponderExcluir
  2. Mylla:

    Obrigada!!!
    É uma pena que suas enteadas não estejam bem com a mãe.
    Espero que vc possa estar centrada para dar o apoio que elas vão precisar.
    Bjão!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.