sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

A história de nós dois



A primeira vez que assisti esse filme eu não gostei muito, mas onze anos depois tenho olhos novos e o assisti de forma diferente. Ele retrata bem um processo de reavaliação conjugal. E mostra com humor os pontos onde a maioria de nós se perde. O desejo da mulher de mudar o marido e transformá-lo no companheiro perfeito. A dificuldade dos homens assumirem um compromisso com carga emocional mais forte e consequente tentativa de trazer a mulher para turma divertida dele. E a confusão que isso dá!

A influência de nossos pais, as dificuldades com os amigos e a vontade de proteger os filhos. O vai-e-volta da relação, o medo da decisão errada, as dúvidas e até as tentativas de terapia frustradas. E aí como em todo filme, eles pecam com o clichê preconceituoso de que nessas coisas não se obtém ajuda de profissionais, que sozinhos é que resolvemos tudo...

Desta vez gostei e acho válido, para quem está em vias de se separar e para quem não está.

Bom filme!

Leia também:
Um novo casamento

Outro filme:
Estamos todos bem.

6 comentários:

  1. Nanda querida,
    excelente postagem!
    Bomfinal de semana,boas energias sempre!
    bjs,
    Mari

    ResponderExcluir
  2. Mari:

    Obrigada!!!
    Semana ótima para vc também!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  3. Oi Nanda! Não podia deixar de postar, porque quem se separa, passa pelos dois processos, de casar e separar.

    Desde minha perspectiva (e creio que de muita gente), o casamento é coisa de dois. Se os dois implicados não cuidam da relação, ela se vai mesmo!

    Mas creio que não devemos parar de mudar. Para que a coisa flua bem, é necessário que os caminhos paralelos se cruzem lá no infinito sabe? Nenhum dos dois tem que parar no tempo, ambos têm que mudar. Isso é um processo natural.

    Seguiremos tendo nossas diferenças, seja qual seja o momento da vida que estamos passando, mas acho que o fundamental é ter a consciência de que onde há amor, há tolerancia. E para que haja tolerância, deve haver diálogo para que a coisa siga adiante!

    Bom fim de semana!

    Bssssssssssssssss
    Fe

    ResponderExcluir
  4. Fernanda:

    Concordo com vc. Acho que o grande problema é que achamos que não precisamos de uma educação para amar, pensamos que o amor é algo selvagem que tem que crescer sem cultivo. Então não aprendemos a ter tolerância e nem a dialogar... Assim matamos o amor, antes mesmo d'ele dar frutos.
    Bjão!

    ResponderExcluir
  5. Oi Nanda, saudade.

    Estou assistindo o filme e estou gostando.

    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Auddymy:

    Que legal!!!
    Estou sumida do twitter, né?...
    Tenho saudades também.
    Podemos nos comunicar por aqui!
    Bjão!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.