segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Educar é contar história



Li esse artigo da Veja passando no blog de Mylla Ideias de Milene. E gostei, também acredito nisso e venho descobrindo isso desde minha infância, pois tudo que minha mãe me ensinava era contando histórias, tanto as já existentes quanto as da vida dela, essas me deram muito suporte para atravessar a adolescência. Na vida adulta precisei de ajuda terapêutica, a minha primeira psicóloga, a que me tirou da lama existencial, contava histórias dela e até hoje lembro e uso em minha vida.

Quando foi minha vez de trabalhar as dores alheias enveredei pelo mesmo caminho, eu conto histórias, as que eu ouvi de clientes, as minhas, as que eu li. Eu comecei a chamar meu trabalho de psico-educação. Considero-me uma facilitadora da reeducação emocional; já que só trabalho com adultos, educados de forma ineficiente nessa área.

Li também um livro do Augusto Cury que fala disso. ele tem toda uma teoria sobre contar histórias. Então o recado aqui é esse para pais e professores, contem histórias!

“Bons professores eletrizam seus alunos com narrativas interessantes ou curiosas, carregando nas costas as lições que querem ensinar.”

E você tem contado suas histórias?

Leia também:
Aguar filhos: A educação do jardinar
Qual deve ser o objetivo da educação familiar
Temperar filhos: A educação do cozinhar

9 comentários:

  1. Oi Nanda!!

    Contar histórias é um bom modo de chamar a atenção das crianças, das pessoas...

    A gente nunca esquece de histórias bem contadas!

    Beijos, tenha uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  2. Oi Nandinha,

    Seu texto é de extrema sabedoria e concordo com tais palavras.
    Educar é uma arte que dá trabalho, mas acima de tudo pode obter muitos resultados diante da forma como está sendo executada.

    Contar histórias...eis uma forma sábia de mostrar ao próximo, como a vida pode ser estudada e vivida de diversar formas.

    Parabéns!!

    Bjokas da JU

    ResponderExcluir
  3. Nanda,
    que felicidade encontrar um post,desse nivel,tudo passa pela a educação e sua forma de educar.
    Bjs,querida
    Boas energias
    Mari

    ResponderExcluir
  4. REgina:

    É isso! Acho uma das melhores formas de passar conhecimento!
    Bjão!



    Juliana:

    Obrigada, linda!!!!
    Essa forma de educação é muuuuito antiga! Mas ainda profundamente válida!
    Educar também pode ser divertido, para quem ensina e para quem aprende!
    Bjão!



    Mari:

    Obrigada, querida!
    Adoro ativar felicidade nos outros!!!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  5. ah eu sou o propio contador de historias, fui criado por um pai que é o melhor contador de historia no melor estilo Peixe Grande... nossa adorei a sugestão

    ResponderExcluir
  6. Ei Nanda,
    Obrigado pela indicação do meu blog!!!
    Eu dei um tempo nas minhas memórias, no blog delas...
    Estou meio q numa fase de BRANCO...
    Depois do falecimento de minha mãe, tento manter minha mente ocupada para não pirar...
    Estou até fazendo caminhada, 3 x por semana!!!
    Mas sei q contar histórias é mto bom!!!

    Saudades de vc!!!

    bjão

    ResponderExcluir
  7. AUGUSTO CURY ESCREVE MUITO BEM..
    GOSTO MUITO DAQUILO QUE ELE ESCREVE.

    AMIGA.
    SEI QUE QUASE NÃO VENHO MAIS.MAS SABES QUE MORA EM MEU CORAÇÃO.
    QUERO LHE OFERECER OS SELOS QUE ESTÃO NA CURIOSA E UM SELO DA DIVERSÃO EM MEUS MIMOS. PASSE LÁ.
    SANDRA
    MEUSMIMOS htpp://sandraandrade7.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. GrandeR@O:

    Bom, né? Uma das formas mais antigas de se passar conhecimento e divertida também!
    Bjão!



    Mylla:

    Por nada linda!
    Sinto muito por sua mãe... E espero que vc possa voltar a escrever no blog, com o tampo!
    Caminhadas é muito bom para ativar nosso corpo!
    Bjão!



    Sandra:

    Oi querida!
    Fique sempre à vontade! Eu também não esqueço vc!
    E tenho andado sumida do blogger como já lhe disse me mudei de mala e cuia para o twitter!
    Obrigada pelos selos!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  9. OI,

    Isso é verdade, crianças gostam de histórias, mesmo que você não seja um exímio contador - que é o meu caso. Mas com um pouco de esforço se chega lá.

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.