sábado, 8 de outubro de 2011

A Delicadeza da Mente Humana




A mente humana é muito delicada. Qualquer coisa a marca. Uma criança é alguém que precisamos proteger. Pois seu cérebro em formação pode ser marcado de maneira definitiva por um simples comportamento descuidado. E daí para formar um adulto abaixo de seu potencial é facinho.

Abandono e mau trato são os mais óbvios comportamentos que causam um desencaminhamento de virtudes. Mas esses não são tão perigosos, pois são visíveis. Pior mesmo é o desinteresse ou falta de sintonia parental. Um pai ou mãe mais ocupado consigo mesmo do que com as necessidades do filho.

E isso inclui aqueles pais amantíssimos que trabalham tanto para “dar tudo ao filho” que ficam tão esgotado energeticamente que nem olham para o tal filho. Só querem saber de dormir, relaxar, se isolar numa TV ou jornal. A paciência falta, o desejo de sumir é recorrente e ele é permeado por uma sensação de injustiça eterna, já que o filho não reconhece o sacrifício que ele faz.

O filho reclama, se rebela, se afasta e o pai não entende. Nossa mente é alimentada, principalmente, pela sensação de que somos imprescindíveis para quem elegemos como figuras significativas. E na maioria das vezes só reconhecemos isso quando as pessoas nos olham com empatia, paciência, carinho e firmeza. Não adianta estudar na escola mais cara, ter toda a tecnologia possível, vestir-se com grifes famosas, viajar, ter uma casa de matar de inveja. É preciso sentir o afeto vindo do calor de um olhar.

Nossa mente é frágil, precisa de proteção, de dedicação. Conforto material é bom, mas não é tão importante quanto paciência e firmeza parental, na educação de uma pessoa.

É a falta disso que gera, acredito eu, a maioria dos comportamentos tresloucados dos seres humanos, com a exceção aí dos que já nascem desconectados afetivamente (psicopatas).

Namasté.


Leia também:

21 comentários:

  1. Olá Nanda, nossa ontem estava conversando com uma paciente sobre isso. Seu post focou bem o que estamos vivenciando em sociedade. Obrigada por seguir meu blog. Volto sempre que puder, bjs Cynthia.

    ResponderExcluir
  2. Nanda escrevi hoje na postagem de um amigo sobre um tempo que os pais devem dar para seus filhos e digo que esse é um dos melhores investimentos que os pais podem fazer pelos seus filhos, pois muitos pais trocam um tempo que podem reder grandes benefícios para seus filhos por dinheiro, roupas e brinquedos caros,sei que muitos pais não faz isso por maldade pois querem acreditam que isso é dar para os filhos o que nunca tiveram.

    Os pais que investem em seus filhos quando crianças fazem uma base firme em seus caráter.

    UM bom FDS

    ResponderExcluir
  3. Nanda, como os amigos podem notar, eu recordo com ricos detalhes de minha infancia. Por isso mesmo, eu ODEIO quando minha advogada, psicologa, até juiz dizem sobre a triste infancia de minha filha: "ah, isso passa" "ah, vai crescer e tudo vai mudar". Eu fico irritada e respondo de imediato: "mas a infancia nunca mais voltará".
    A mente é delicada sim, ela deixa tudo armazenado. Meticulosamente.

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Minha infância foi pautada por atitudes positivas, seguras e acolhedoras dos meus pais.
    Trago um carinho tão grande por eles, pois eles despertaram em mim as melhores virtudes.
    Cuidar dos nossos infantes é uma tarefa muito delicada e de extrema responsabilidade e se temos que fazê-lo que seja sempre da melhor e mais apropriada maneira possível.
    Gosto deste seu espaço.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Cynthia:

    Estas coincidências...
    Se observarmos com atenção é fácil ver isso.
    Volte sim!!!
    Bjs!



    Irismar:

    Acho que estamos confusos com relação à valores... Pensamos que ter sucesso na vida é ser rico, e só.
    Por isso terminamos investindo nosso tempo em ganhar dinheiro e desleixamos com as outras coisas.
    Bjs!



    Sissym:

    Estas pessoas devem estar querendo confortar você... Concordo que não proteger uma criança nesta fase é dar muito trabalho a ela quando crescer. As pessoas não superam tão fácil assim e tem coisas que ficam para sempre.
    Mas se você não está podemos fazer nada para proteger agora, então é confiar que no futuro sua filha vai poder se recuperar, pois como disse nossa mente é mutável e você pode ajudar dando força.
    Bjs!



    Malu:

    Fico feliz em saber disso!!!
    Às vezes tenho a sensação de que não existem pais maduros...
    Proteger de maneira correta as crianças é o melhor investimento para o futuro humano.
    Obrigada pelo apreço ao Múltiplas!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Ótima postagem minha amiga! ...concordo plenamente com a sua opinião.
    A falta desta afetividade no âmbito familiar consequentemente mudará muito a cabeça e o caráter dos filhos, transformando-os futuramente ou quando já homens num desconhecido, por ações e atitudes vindas deles; e é nestes momentos que surgem as problemáticas e junto com elas o questionamento em relação á educação dada: (onde foi que erramos?) Erraram pois, no afeto,carinho, diálogo e compreensão fatores básicos para formar bons filhos, homens de bem e de moral.



    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Concordo com a sua opinião Nanda parabéns!

    ResponderExcluir
  8. É a nossa mente capta tudo mesmo, somos sensíveis,carente de afeto,abraços e beijos, não devia ser trocados, é claro que precisamos de trabalhar, O trabalho dignifica,mas a falta de atenção,principalmente para essas crianças,acarretará uma series de problemas, depois querem corrigir e não tem mais jeito.

    ResponderExcluir
  9. Douglas:

    Obrigada!!! ; )
    Bjs!



    Erick:

    Precisamos ficar lembrando disso!!!
    Bjs!



    Mirinha:

    É e precisamos lembrar para que não nos abarrotemos de trabalho e esqueçamos de dar afeto, este é o verdadeiro alimento da humanidade.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Renilson:

    Obrigada!!!
    Sim, não é que não se possa errar... Mas às vezes desleixamos no mais importante, por falta de orientação.
    É bom lembrar os valores que fazem crescer um ser humano de qualidade.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Minha amiga,
    Afetos, amor, atenção ,carinho e segurança não se encontra em lojas ou supermercados,e sim em uma vida familiar estável e estruturada emocionalmente,a mente humana é frágil e carente, dependente de sentimentos que a fazem movimentar e querer viver...ela tem necessidade de estar segura mediante aos sentimentos de quem oferece proteção ,que no meu caso acredito ser nossos pais.

    Amiga, beijos e otima semana pra você

    ResponderExcluir
  12. Cecília:

    Sim, acredito que precisamos ser lembrados disso constantemente!
    bjs!!!

    ResponderExcluir
  13. Que bom texto, amiga Nanda,tão verdadeiro tudo que você diz e posto de forma tão clara e objectiva que não dá para não entender.
    Eu tive uma infância privilegiada com pais que, mesmo sem lerem textos como este fizeram tudo direitinho, por instinto, por amor, sei lá... talvez as duas coisas. Mas eu tenho um parente meu que sempre foi considerado uma criança insuportável, rebelde, mal comportada. Isto sem razão, achavam as pessoas, pois é filho único, os pais são ricos, nada lhe falta, tem tudo o que quer do bom e do melhor. Mas o certo é que todos os dias, em criança, ele apanhava tareias e ainda provocava e apanhava 2ª e 3ª vez e nem sequer chorava.
    Bom, acho que alguma professora ou a psicóloga da escola, não sei bem, acabaram por chegar à conclusão que ele fazia de propósito. Preferia apanhar porque assim chamava a atenção dos pais, reparavam nele.
    Gostei muito de seu texto
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  14. GataVadia:

    Obrigada!!!
    Eu chamo pais como os seus de virtuose, eles têm um talento natural para a educação, mas são raros, vc teve sorte!
    Já ouvi histórias de crianças que aprontavam para apanhar, pois era a única forma de contato físico com os pais. Estes adultos deveriam ser orientados para não terem filhos, não é culpa deles não darem afeto, apenas não foram forjados para a função. Nem todo mundo deveria ser pai e mãe...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Como diz minha querida professora de SAÚDE COLETIVA. "Psicopata é século XVIII A moda agora do século XXI é SOCIOPATA, aquele que mata, por exemplo, e convive bem em sociedade.

    Amei as coisas por aqui, baby.^^Estou seguindo o seu blog, se puder retribuir, ficarei grata. Seu comentário sempre será fundamental.


    By,


    Nathacha Jéssica Phatcholly



    www.medicinepractises.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Nathacha:

    Na verdade o termo mais atual é Transtorno de Personalidade Antissocial. Mas eu ainda prefiro o bom e velho termo psicopata.
    Acredito que as pessoas já nascem assim.
    Todo ele se dá muito bem com a sociedade e são acima de qualquer suspeita. O lado obscuro é muito bem preservado, para as vítimas nem desconfiarem.
    Obrigada!!!!
    Costumo visitar quem me visita, sim!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  17. Laudelino Ferreira15 de outubro de 2011 09:52

    Olá Nanda,

    Boa noite minha querida!

    É certo que os cuidados dosados,
    geram mentes grandiosas em
    compreensão do teu entorno.

    O descuido pelo desvario da
    conduta educadora, cria deformações
    da visão comunitária, mas
    nem sempre é regra.

    A alguns que superaram estas ausências
    e se tornaram grandes cidadãos,
    fortes e intuitivos na/da vida.


    Bjs e até minha querida!

    ResponderExcluir
  18. Laudelino:

    Sim, é verdade, mas acredito que tem mais gente se perdendo do que conseguindo superar os maus tratos infantis. E por isso devemos lembrar a todos que é possível prevenir comportamentos destrutivos, se mudarmos valores básicos.
    Obrigada!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  19. Seu artigo é a prova de juventude sem limites , mas o que não podemos aceitar são os mau tratos isso vira um problema na vida adulta um problematico ou um marginal devido a falta de atenção que não dada.

    ResponderExcluir
  20. Antônio:

    Pessoas devem ser educadas com orientação e amor. Quando somos largados afetivamente temos mais chances de fazer escolhas destrutivas.
    Bjs!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.