sábado, 30 de janeiro de 2010

O bom do esforço




Nada aqui na terra se consegue sem esforço e empenho, mas esse esforço pode ser gostoso, algo que não queremos deixa de fazer. Por muito tempo achei que trabalhar era algo ruim, cansativo, uma coisa que deveríamos tentar deixar de fazer. Hoje vejo que esse é um conceito tolo. Tudo que a gente faz depois que nasce é esforço e trabalho: Respirar, andar, comer, se divertir, namorar, dormir... Em nenhum momento da existência você deixa de trabalhar, mas alguns esforços você acha bom e outros você teima em achar ruim.


Então comecei a pensar numa coisa que gosto muito de fazer, desde pequena: Dançar, quando faço isso me divirto e não me parece desprazeroso, mas é um esforço, um trabalho (fisicamente falando), logo, porque não posso fazer todas as tarefas dessa forma? Porque não posso imaginar que qualquer coisa que faço pode me gerar prazer? Porque não posso transformar tuda minha lida em atos despreocupados e até inconscientes como respirar? Sim, porque até para respirar nós estamos nos empenhando, mas não sentimos... Eu não canso de respirar, enxergar, ouvir, porém todos esses atos são serviços de sobrevivência.


Decidi que posso estender para todos os atos da vida o prazer, inclusive aquele que me gera recursos para sobreviver. Aquilo que a gente chama trabalho e quer se livrar. Quando eu estendo essa sensação de ato prazeroso para tudo que faço, minha vida fica mais fácil e alegre. Meu convite é; amplie o conceito de deleite, não o restrinja apenas ao que você faz no final de semana. Perceba que tudo que você faz é esforço, mas que pode ser gostoso e algo que não queremos deixa de fazer, basta você decidir que será assim. Nós podemos escolher como vamos viver nossa vida, não acredite em nada que atrapalha você de ser feliz. Você é dono de sua alegria e pode escolher viver bem ou viver mal.


Eu escolhi transformar toda minha labuta em dança. E estou no exercício, não quer dizer que de vez em quando eu não me esqueça e caia no antigo conceito, mas eu procuro lembrar constantemente que sou eu que estou no comando da minha experiência e aquilo que eu escolher sentir é o que vale para mim. Experimente!


Namasté!

Leia também:


9 comentários:

  1. Bacana ! Diria que viver não é brincadeira... mas, se procuramos a cada dia "apreender" tudo pode ser menos pesado e "até" divertido.
    Eninha

    ResponderExcluir
  2. Totalmente apoiado!
    Às vezes nos sentimos tão cansados da rotina que nem paramos para pensar que quanto mais acharmos uma coisa entediante, mas ela se tornará!
    Abs!

    ResponderExcluir
  3. Olá Nanda,

    Eu sou um tanto dedicada ao meu trabalho, que pra mim é a coisa mais importante, já que sem ele não poderia nem ter alimentado meus filhos. Então nunca achei que meu trabalho fosse algo que eu quisesse me livrar ou deixar de fazer. Mas com certeza muita gente detesta o que faz, entretanto não quer dispender esforço para mudar por algo que lhe pareça mais prazeiroso.

    Não acho que o esforço seja ruim se ele é o caminho para nossas conquistas pessoais.

    bjs

    ResponderExcluir
  4. Nanda

    Este é um ponto de vista sobre o qual eu nunca havia pensado. Realmente, estamos sempre nos esforçando, até para respirar. Movemos muitos órgãos, é quase um milagre, no entanto, nem damos valor. Eu já tento fazer cada dia da minha vida algo que me traga prazer, alegria e bem-estar. Mas, sabe, também tenho loucura por aprender a dançar. E também a costurar. Mas, por enquanto, não tenho tempo livre. Quem sabe um dia...
    Um beijo pra você

    ResponderExcluir
  5. Olá Nanda!
    Meu pai sempre dizia que "trabalhar não é fazer o que gosta, mas gostar do que faz". :-)
    Acho uma boa linha de pensamento.
    Abraços, Fernandez.

    ResponderExcluir
  6. Nanda, não lembro de nada que tenha feito que tenha sido sem esforço. E quanto mais eu me dedico mais eu gosto. Talvez minhas máquinas - mente e corpo - só trabalhem bem assim. Eu procuro fazer as coisas com prazer, bom humor, porque eu preciso viver e tentar ser feliz.
    Voce falou de dançar, eu amo demais, como não consigo pagar aulas (hummm isso é bom) ou mesmo ir a um lugar para esta finalidade, ou danço com minha filha em casa ou nos meus sonhos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Eninha:

    Olha! Vc é uma das minhas!!!!
    É isso que venho tentando fazer!Nem sempre consigo, a todo momento, mas aquilo que faço já dá um ótimo suco! rsrsrs
    Bjão!



    Isaias:

    Verdade, o tédio está realmente no olho de quem vê! Precisamos nos sensibilizar momento a momento para nos divertir na vida!
    Bjão!



    Leila:

    Que bom vc já ter partido do gosto por trabalhar! Eu não... Tive que fazer um caminho e ainda escorrego de vez em quando! rsrssr
    Agora, o resultado do trabalho eu sempre gostei, independência financeira, reconhecimento de habilidades... Isso tudo é muuuuuito bom!
    Bjão!



    Denise:

    Oi linda! Voltou das férias? Já viu as respostas às suas perguntas? Os dois textos que escrevi para vc?
    Eu acho uma maravilha nosso corpo!Sempre fico abismada ao pensar nele!
    Quanto a dançar... Não espere aprender, coloque uma música bacana em casa e balance ao som dela! Isso é dançar!
    Bjão!



    Fernandez:

    Ô! Que bom seu pai já saber disso e poder ter lhe ensinado! Parabéns para ele!!!
    Obrigada!!!
    Bjão!



    Sissym:

    Foi isso que cheguei à conclusão! Tudo é esforço; só que alguns a gente percebe como ruins e outros como bons!
    Ah! Dançar é isso! Foi como eu disse à Denise, acima, é só balançar o corpo numa música bacana e se divertir!
    Bjão!!!!

    ResponderExcluir
  8. É, Nanda...

    Tudo depende do modo como olhamos as coisas, os fatos...

    Se tivermos a crença de que tudo na vida é um fardo e que só conseguiremos ser felizes com muito esforço, assim será...

    Muito bom esse tema!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. REgina:

    Eu também acredito nisso, e melhor vivo nessa ideia!
    Bjão!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.