sexta-feira, 29 de julho de 2011

Fazer ou não fazer, eis a questão



Recentemente estava conversando com uma pessoa e tentando fazê-la enxergar sua própria responsabilidade em um assunto que a estava incomodando. E percebi muita resistência em simplesmente admitir, era só constatar: O outro tinha sua parte no assunto, mas eu também não fiz isso ou aquilo e contribui para o problema.

Pensando sobre esse evento entendi que a pessoa não estava resistindo a admitir, ela estava resistindo a fazer alguma coisa. Vi que se ela assumisse sua responsabilidade, achava que teria que se mexer, teria que realizar coisas que não estava com vontade. Então o mais fácil era negar tudo, inclusive o óbvio.

Gostaria de dizer que descobri que não somos obrigados a fazer algo, depois de uma constatação. A nossa escolha pode ser apenas: Eu não gosto disso, mas ainda não quero fazer nada a respeito. E isso não diminui em nada nosso valor. Esqueçamos os filmes de Hollywood, as frases de efeito e as exortações mais comuns.

Façamos diferente, sejamos realmente livres! Eu posso escolher ficar na “merda”! Eu posso escolher ser preguiçosa, inativa, desleixada; eu não preciso negar algo que está na cara por medo de ter que fazer algo a respeito.

O primeiro passo é sempre visualizar. Se depois já for hora de agir, não precisamos nos preocupar a ação nascerá sem esforço extra. Acho pior negar a realidade por que somos obrigados pela opinião dos outros e as críticas a fazer malabarismos e ações que ainda não são de nosso interesse.

Pela minha experiência, tudo aquilo que precisei fazer, nasceu na hora certa em mim e não foi a decisão do vizinho que me empurrou. Não tenho medo de ver, mesmo que ainda não tenha força para mudar a situação. Simplesmente aceitei, não está bom, mas eu ainda não tenho interesse em mudar. Na hora que precisar mesmo você se mexe, mas não antes de aceitar o fato. Negar só adia a manifestação da sua força para mudanças.

Não tenha medo do julgamento alheio, cada um sabe onde seu calo aperta. Deixe que o outro tenha a suposição dele e siga se orientando por sua intuição.

Namasté!

Leia também:
O álcool e a língua solta
O perfeito erra?

13 comentários:

  1. Por isso uma frase que gosto bastante: "O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença"
    Ou seja, falar em julgamento alheio... o que importa é sabermos quais são o valores que nos representa, que forma nosso carater e como vc disse cada um sabe onde o calo aperta. Então p/ mim a maneira como podem me olhar nesse sentido é um problema exclusivamente de quem está julgando e não meu.
    Bjssss

    ResponderExcluir
  2. "Amigos são flores...
    Amigos são poemas...
    Como flores, devem ser cultivadas com carinho e dedicação, para que as tempestades da vida não esfacelem suas pétalas e para que possamos ter seu perfume em todas as estações.
    Como poemas, devem ser sentidos nas fibras mais sutis da alma, com respeito e gratidão, para que sejam a melodia risonha a embalar nossas horas em todos os períodos do ano".

    VENHA NA CURIOSA BUSCAR SEU CARTÃO AMIGOS DO CORAÇÃO.
    Lhe ofereço com muito carinho que nos temos um pelo outro...Amizades são vinculos super carinhosos entre os verdadeiros. AMIGOS, seja virtual eou real.

    Carinhosamente
    Sandra

    ResponderExcluir
  3. Paulo:

    Este é um exercício complexo, já que desde de pequenos nos condicionamos a olhar o outro para saber se somos aprovados ou não.
    Porém a maturidade vai dando esta condição de permitirmos que este outro nos olhe da maneira que quiser, sem nos afetar.
    Parabéns!
    Bjs!




    Sandra:

    Obrigada pela visita e pelo presente!!!!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Oi Nanda,
    Passei aqui para ver sua lista da coletiva, mas não achei seu post...
    Mas como tudo o que escreve é bom...
    O ser humano é livre para fazer suas escolhas. Para isso Deus deu-lhe o LIVRE-ARBÍTRIO.
    Mas há alguns que metem os pés pelas mãos e depois culpam Deus pela sua derrota na vida, esquecendo-se que eles mesmos são os culpados.
    À proposito, Aline Calixto não tem nada de gospel... Ela é uma pagodeira de mão cheia e boa demais!
    Formou-se aqui na UFV e começou sua carreira na terrinha. Depois alçou voos mais altos. Ela está no seu segundo CD.
    Ela tem um blog: SAMBALAIO. Tente o YOU TUBE:

    http://www.youtube.com/watch?v=3Q9FrAmqung

    ESTE LINK É O DA MÚSICA DA LISTA!
    ACHO QUE VAI GOSTAR...

    BOM DOMINGO!

    BJO

    ResponderExcluir
  5. Nanda,

    Depois faça uma vista ao Ideias e volte ao Vidas... Vc me inspirou a posta o texto do Vidas...
    Veja se gosta!

    bjo

    ResponderExcluir
  6. Mylla:

    Já fiz esta correção, deixei o link do post lá no Vidas.

    Assumir responsabilidade pela prória vida é sinal de maturidade!

    kkkk Bem diferente, né? De onde será que eu tirei que ela era gospel??
    Vou conhecer, ok?

    Oba! Estou inspirando pessoas??? Vou lá olhar.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. A imagem do post retrata bem o que pensei sobre o problema que apontou. Em geral, as pessoas não assumem a resolução de seus problemas por pura preguiça e por causa dela, cada dia a mais, o problema se torna mais trabalhoso para resolver - vai-se criando "desculpas" e o mais fácil é sempre culpar alguém; seja uma contraparte ou até mesmo uma repartição toda. Pessoas decididas e enérgicas ganham tempo e resolvem seus problemas rapidamente. Protelar é ocupar-se com o "lixo" deste problema. No caso da pessoa em questão, talvez ela resolvendo a parte dela, consiga resolver todo o problema. Boa semana! Beijus,

    ResponderExcluir
  8. Luma:

    Concordo com vc, em alguns momentos a preguiça bate e escolhemos o caminho menos trabalhoso.
    Mas precisamos saber que nem sempre é preciso agir de pronto. O importante mesmo é constatar; a ação vem na hora que é para vir.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Olá, Nanda

    Gosto de vir visita-lá aqui no seu espaço da reflexão!.Observo que alguns casos, o que impede de alguém sair da inércia, não é só preguiça é também o medo...

    beijos no coração

    Rosana gois

    ResponderExcluir
  10. Oi Rô!!!

    Que bom lhe ver por aqui!
    Não temos tido muita sorte de nos encontrar ao vivo na net, não é?
    Eu adoro receber sua visita!
    Sim, tem preguiça e medo, mas também tem o não estar preparado para agir. Minha questão é: não precisamos nos condenar porque não agimos ainda.
    Este é um post de perdão aos inertes! rsrs
    Xero!

    ResponderExcluir
  11. Seu texto é legal se faz necessário mesmo não olharmos para o julgamento que as pessoas fazem de nós.

    ResponderExcluir
  12. Mirinha:

    Obrigada!
    A pedida é não nos guiarmos completamente pelo julgamento alheio.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Adorei o texto, repleto de sabedoria sobre esse erro comum de achar que temos que mudar o que está fora da gente, que muito provavelmente repeti e vou repetir novamente. Bjs.

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.