domingo, 6 de junho de 2010

Felicidade Transferida





Vamos à segunda pergunta de @Kriclau:

“Por que apostamos tanto em alguém e chegamos ao ponto de transferir nossa felicidade para os outros ?”


Acredito que aprendemos que isso é o certo a se fazer. Se repararmos em nós veremos que todos nossos órgãos do sentido estão voltados para fora, é natural que entendamos que o mundo externo é que deve trazer coisas para nós.

Uma vez, tentando explicar a uma pessoa o conceito de auto amor, ela me perguntou: “Mas Nanda, qual é a graça de eu me dar amor? Não é o outro que deve fazer isso para mim?”.

Essa é nossa programação básica, tudo vem de fora, importamos tudo! O que é de dentro da gente não serve. Então quem nos “dá felicidade” é o outro ou as circunstâncias externas. Não concebemos uma felicidade e amor nascidos de nosso interior, da gente para a gente mesmo. Entregamos nosso poder a outras pessoas que não podem fazer nada por nós, eles até que se esforçam, porém mais cedo ou mais tarde, pisam em dezenas de tomates, muitas vezes sem querer, nos machucam, só porque existem e se comportam de uma forma que não nos agrada.

Antes de se encontrar com alguém fora (de si mesmo) encontre-se consigo. Ame-se, saiba se fazer feliz, só aí busque alguém para compartilhar suas riquezas, vá ao outro como imperador/imperatriz, e não como mendigo sentindo falta de tudo, carente, de mãos estendidas, achando que quem tem que preencher esse vazio é outro. E então não precisará transferir sua felicidade para mão de ninguém.

Namasté!

Obs.: Próximo texto “Será que existe lógica no amor?”

Leia também:
Amor obsessivo
Maridos gostam da companhia de esposas?
Amor exclusivo

8 comentários:

  1. Parabéns Nanda, muito bem respondido!

    ResponderExcluir
  2. Nandinha, não sei dizer se achamos ser o certo, creio que a paixão cega mesmo, deixamos de lado nossa identidade, coisa ruim. Isso me aconteceu, hoje me protejo muito, o medo de errar faz com que eu deixe passar oportunidades, não sei dizer se seria feliz ou não.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Legal o tema , ano passado assisti a uma palestra cujo tema foi esse:felicidade .A palestrante citou a música do djvan como ex;olha a letra 'vem me fazer feliz porque eu te amo ' veja que até os poetas, acham que o outro tem obrigação de fazê-lo feliz, e a felicidade é algo interno não depende de fatores externos e muito menos de ninguém!

    beijos no coração

    ResponderExcluir
  6. Queridas, Maria Amora,Sissym,Rô obrigada pelos comentários.

    O amor romântico ainda é algo que desperta muitas fantasias que atrapalham a felicidade do cotidiano.

    Mas com o tempo muitos de nós já poderão viver o amor com mais maturidade!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Entendo isso quase como se fosse um treino,só reconhecemos o amor quando já sabemos nos dar amor.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Marinho:

    Fiquei muito contente com seu comentário!!!!
    Acho que agora só podemos treinar mesmo... A ação automática disto está ainda sendo formatada em todos nós.
    Um xerinho especial para meu companheiro!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.