quinta-feira, 23 de julho de 2009

O BOM E O RUIM


Gostamos de simplificar as coisas no momento errado. Esse é o caso do bom e do ruim, queremos sempre colocar um de cada lado, como se não andassem juntos, pensamos que o que é bom é só isso e o ruim é puro também, mas se observarmos bem a vida, vemos que eles são casados e vêem em pares. Nada é só bom ou ruim.

Quando fazemos escolhas, por exemplo, tem sempre um lado favorável que é o que nos faz optar por tal coisa, mas se olharmos direito, vem junto o que não é tão favorável assim. O contrário também é verdadeiro. Algo que seja ruim pode trazer junto uma coisa boa.

Se tivermos esse discernimento, o medo de fazer escolhas “erradas” diminui, pois compreendemos que teremos de lidar com ambos aspectos da opção, ou seja, usufruir o bom e aprender com o ruim, saindo com esperteza dos seus desagrados. Se não desenvolvermos essa inteligência, acabamos por desgostar das escolhas e pensamos que só fizemos besteira na vida.

Isso também vale para a personalidade das pessoas, não existe alguém só bondoso, nem alguém só do mau, sempre somos uma mescla dos dois e em alguns momentos mostramos mais um do que o outro é certo que o mau machuca e é bom evitá-lo o máximo que pudermos, mas mesmo quando temos cuidado ele nos visita de vez em quando. Não tendo medo de encarar esse aspecto em si mesmo fica mais fácil conduzi-lo, direcioná-lo sem que sejamos dominados por ele. Ter uma visão ampla das coisas é o melhor remédio para não ser levado por essas mesmas coisas.

Então há certo momento que é melhor não simplificar, somos complexos e ao enxergar isso sem reducionismos medrosos, podemos ter maior controle sobre nossas ações. Escolhemos a ação construtiva na maioria das vezes e só usando a ação destrutiva quando ela for válida para um aprendizado ou mesmo renovação, uma mudança do estabelecido ultrapassado.

Nestes casos, frustração, que é o nome que damos ao mau algumas vezes, se transforma em crescimento, dando base ao ditado popular: “Há males que vem para o bem”.

Namasté!

Leia Também:
Se arrepender do que não fez
Ser gentil ou agradar os outros
Buscar a perfeição
Verdade e Mentira

31 comentários:

  1. Ótima mensagem nesse texto. um beijo,chica

    ResponderExcluir
  2. Nanda,
    Gosto de seus textos, pois neles, aborda temas que dariam laudas e laudas e você tem um dom de síntese incrível. Sobre o texto em questão, a nossa educação, na grande maioria, nos leva a dicotomizar o bom e o ruim, os sentimentos e emoções bons e ruins, agregando valor ao que simplesmente é: todos os sentimentos e emoções que existem em bom português: raiva, inveja, ciúme, cólera, ira etc. (que são valorados como ruins) fazem parte do humano, e não tem como não tê-los, somos humanos. Fragmentar em dualidades é no mínimo trazer confusão ao seu discernimento...
    Perceber simplesmente o seu momento, e deixar ir, como tudo se vai, é algo precioso e relaxa o ser.
    Muito bom, muito bom
    bjo

    ResponderExcluir
  3. Texto inteligentíssimo como todos,Ariadne. Penso assim e já escrevi coisa parecidas. Já havia lido aqui também outros ótimos que você recomenda aí abaixo. parabéns

    ResponderExcluir
  4. muito bom.....!
    até porque mesmo o ruim as vezes é bom.....no minimonos movimenta a aprender e mudar.

    maravilhoso seu texto

    carinho

    Denise

    ResponderExcluir
  5. NAnda,
    Gostei do texto... Muita gente pensa que pode separar os lados bons e ruins das coisas e não é bem assim...
    Ninguém pode saber de antemão o que pode resultar em bom ou ruim, sem antes experimentar...

    Dando uma olhada no seu blog Vi o banner do "Vou de Coletivo"...
    No meu blog do Lua Imaginada, ele disse que a blogagem seria todo dia 1º de cada mês...
    E no seu está dia 20?
    Não entendi...

    Bjão

    ResponderExcluir
  6. Olá Nanda! Como eu costumo dizer: toda vez que dizemos sim para algo, estamos dizendo não para uma outra coisa... Adorei o texto! beijos!

    ResponderExcluir
  7. Nanda,
    Gostei do texto! Entender que o bom e o ruim andam como par é importante para não sofrer.
    Nenhuma pessoa é só boa ou só ruim... Ela tem um pouco de cada dentro, mas com certeza algum lado sempre aparece mais que o outro.

    Beijos menina

    ResponderExcluir
  8. Com certeza Nanda!
    Não tem como separar essas duas coisas. Amabas caminham juntas. Mas nós conseguimos e temos nossas próprias escolhas.
    Podemos separa-las e escolher a melhor que queremos par caminhar do nosso lado.
    Um grande beijo amiga.Um forte abraço no coração.
    Sandra

    ResponderExcluir
  9. Aloha..Nanda, querida amiga!!

    Tri Legal o texto. Tenho comigo algumas citações do tipo:

    A) "Nem tudo que é tão bom é tão bom...!!! Nem tudo que é tão ruim é tão ruim....!!!"

    "Depende sempre do que vem depois"!!!!


    B) Nada é tão bom que não tenha seu lado ruim... e nada é tão ruim que não tem seu lado bom.

    Parece óbvio, porém só enxerga o óbvio que tem olhos para ver o Óbvio....!!!

    Que as Bençãos da Consciência Existêncial inundem sua sexta e a de todos os amigos que participam de seu espaço....

    Bejuss!!
    Namastê,
    Aloha!!
    Hod!

    ResponderExcluir
  10. Chica:
    Obrigada, linda!
    Bjão!


    Cristiano:
    Obrigada. Fico feliz de estar gostando do meu jeito de escrever!
    Penso que estes sentimentos não são humanos, são dos animais, e que estamos ainda em fase de transição, nos desapegando do mundo puramente biológico, por isso eu nos chamo HUMANÓIDES ainda no caminho da humanidade.
    Então, devemos perdoar os descontroles, e fazer como vc disse, perceber e deixar ir, relaxando e aprendendo com a experiência.
    Bjs!


    Carlos:
    Que bom saber que tenho um leitor assíduo dos meus textos, fico feliz e orgulhosa! Obrigada!
    Não tem problema de ter confundido meu nome!
    Obs>: A correção está lá embaixo.
    Bjs!


    Mylla:
    Sim, foi isso que quis dizer.
    O dia da postagem é 20 o dia do início da inscrição é o 1º.
    Bjs!


    Ana Paula:
    Obrigada, espero que volte para ler outros.
    Sim, um sim sempre traz embutido um não e vice versa!
    Bjão!


    Tita:
    Estou adorando ter vc com freqüência por aqui! Estou toda vaidosa!
    É exatamente isso que eu queria refletir sobre!
    Bjão!


    Sandra:
    É isso mesmo, tudo aqui vem em pares, e o que vale é o que escolhemos viver e sentir!
    Bjão! Meu coração agradece!


    Hod:
    Sim o óbvio normalmente é o mais difícil de se enxergar.
    E ditados populares às vezes apontam isso muito bem!
    Obrigada pelas bênçãos!
    Que neste momento retribuo!
    Aloha!

    ResponderExcluir
  11. Adoroooooooo seus posts adorooooooo!
    Por sermos tão complexos somos dúbios e nem sempre nos damos conta disso mas as vezes fazemos coisas que depois custamos a acreditar que fomos nós,isto ocorre porque estamos em constante evolução de conhecimento interior.Muitas vezes falamos uma coisa,pensamos outra e agimos contrário a tudo.
    Bom fim de semana!
    Beijocas

    ResponderExcluir
  12. Isso é uma das grandes discussões que rola. Entre os que dizem que tem um certo e errado e os que dizem que depende (relativismo moral).

    Eu fico entre os primeiros. Há certo e errado e deu.

    Mas digo uma coisa que concordo com teu post Nanda: REalmente as pessoas podem ser mesclas de certo e errado. Elas numa area podem ser certas (por exemplo com a familia) mas no trabalho serem totalmente erradas (passando por cima por exemplo)

    abraço!

    ResponderExcluir
  13. Lília:
    Muuuuuito obrigada! Eu fico voando de alegria!
    Sim, somos multi e muitas vezes incoerentes!
    Beijocas!


    Sílvio:
    O relativismo moral pode ser usado, para fugir de um posicionamento às vezes...
    Sim nem sempre atuamos bem em todas as áreas e todos os momentos.

    ResponderExcluir
  14. Oi, Nanda!
    Tudo tem o seu lado B...
    Das nossas escolhas vem o maior ou menor sofrimento; o maior ou menor aprendizado!

    Bjs e um final de semana iluminado pra ti!

    ResponderExcluir
  15. Maravilhoso texto Nanda.

    Bjs e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  16. Esse texto foi como um ótimo chá terapeutico para mim neste momento...Bj

    ResponderExcluir
  17. Wania:
    É verdade, e precisamos lembrar disso, para não ficarmos arrogantes!
    Bjão!


    Anita:
    Obrigada, linda!


    Marcos:
    Adorei! Chá terapêutico é tudo que eu quero ser!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  18. Nanda muito equeilibrado seu texto, é tudo que buscamos na vida, esse equilibrio e o entendimento de que sejamos mesmo um pouco de tudo, pois esse é o ideal e verdadeiro... enfim, estamos sempre em aprendizado e mutação, chegaremos lá. Te ler é muito bom

    Obrigada pela visita...
    Sérgio está em paz agora.

    CON

    ResponderExcluir
  19. Concordo com você.
    Nem tudo é tão simples e fácil e não dá para separar claramente as coisas.
    Somos tal uma mistura de bolo, se quisermos todos os ingredientes separados nunca teremos um bolo, algo inteiro com forma sabor, aroma... melhor mesmo é saber que para ser bom é preciso sempre uma pitada de cada coisa, na medida certa, no tempo certo.
    Ótimo domingo
    Bjão
    Angel

    ResponderExcluir
  20. Con:
    Obrigada, linda!
    Ter vc no Múltiplas é sempre uma honra!
    Equilíbrio é saúde!
    Não há de que! Sim, voltar para casa sempre nos tranquiliza.
    Bjão!


    Angel:
    Isso! Disse tudo!
    É um mix, também gosto da analogia do bolo, ou de qualquer alimento, pois para ficar gostoso e saudável temos que equilibrar ingredientes!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  21. É verdade...somos ALTAMENTE complexos...e que mania a nossa de separar o bom e o mau, né..só bem recentemente comecei a aceitar e a perceber que os dois andam juntos...como é difícil absorver essa idéia, mas é a realidade..

    Ah, quer saber? Se não fôssemos complexos, não teríamos graça... :))))
    Beijão!

    Sil
    esquinadasil.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. É isso, Nanda. Somos assim. E temos que nos aceitar como somos. Parabéns pelo seu blogue. É um sucesso notável.

    ResponderExcluir
  23. Silvana:
    Somos silmplesmente complexos!
    E somos cheios de graça!
    Bjs!


    Antônio Rosa:
    Obrigada!
    Acho inclusive que esta é a única saída: aceitação.
    Bjão!

    ResponderExcluir
  24. Nanda,
    estou descobrindo seu blog . Gosto de tudo que li até aqui ... vou continuar a explora-lo
    Pedro

    ResponderExcluir
  25. Pedro:
    Obrigada, seu comentário está lá em cima com o pessoal do diHITT!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  26. Oi Nanda!

    É bem isso mesmo. Somos seres complexos e querer simplificar em bom/ruim e outros antagonismos mais não nos é possível!

    Parabéns pelo texto!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  27. Luar:
    Neste caso simplificar pode dar problema.
    Obrigada!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  28. Nanda,

    parabéns!A vida seria um tanto chatinha se fôssemos só acertos, como uma vida só de equívocos seria bem lastimável.
    Penso que nem uma nem outra exista... mas a soma e a média do bom e do ruim, da sombra e da luz. Algo como o Arcano XV que nos habita.

    Xero.

    ResponderExcluir
  29. Herege:

    Obrigada!!!
    Como vivemos num mundo dual, o contraste é que nos faz existir, precisamos da sombra para ver em 3 dimensões, então ela pode ser benéfica ao invés de ser só ruim.
    Acho que o Diabo (tarô)vem nos lembrar disso!
    Bjão!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.