terça-feira, 24 de novembro de 2009

Dia Internacional para a Tolerância. (16/11)



Série Dias Comemorativos


Acho que essa atitude é uma das principais da nossa era. Tolerância – a tendência a admitir modos de pensar, de agir e de sentir que diferem. A capacidade de ser indulgente para com o outro, de consentir que este outro seja. É, para mim, a prova maior de maturidade. Quando deixamos de ser centrados em nós para sabermos que existe, de verdade, o outro e que este difere da gente; têm outras necessidades, interesses, maneiras de se guiar na vida, preferências.


É quando nós realmente nos interessamos por quem é o outro e não mais desejamos ser modelo para ninguém. Antes disso, temos a prepotência de achar que sabemos o que é melhor, e o que todo mundo deve seguir. Concluímos que nossa forma de existir é a melhor, e saímos numa cruzada de conversão, queremos seguidores, queremos “salvar” a vida de quem nem está pedindo para ser salvo!


Tolerar é esperar alguém realmente pedir ajuda. É compreender que existem muitas formas de ser feliz. É se abster de interferir, e só fazer isso quando efetivamente for chamado. É ouvir com sensibilidade o outro e suas necessidades é respeitar a vida. Podemos exercitar isso, podemos nos refrear em nossa arrogância, podemos abrir mão da idéia de que sabemos tudo. Podemos tolerar!


E você, como exercita a tolerância?


Namasté!

Leia também:

13 comentários:

  1. Bom dia Nanda, a pergunta final é no mínimo "fatídica"; e com certeza digna de questionamento. Acredito que a tolerância sempre vem acompanhada da educação, e do respeito por si, tendo como consequência o respeito pelo outro.

    Por sua vez, enquanto não compreendermos a singularidade daqueles que nos rodeiam, a questão da tolerância será sempre de extrema importância, como você bem lembrou.

    Abraços Marco

    ResponderExcluir
  2. Marco:

    Sim! A pergunta é vital!
    Também acho que educação é uma via muito boa para se conquistar virtudes, é por isso que trabalho com ela.
    Essa compreensão mais madura das diferenças é fruto de compreensão e treino.
    E essa virtude em particular é necessária urgentemente!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  3. Olá Nanda,
    Isso é questão de foro íntimo. Intrapessoal.
    Desde muito cedo testemunhamos os que exercitam a tolerância e a intolerância, nas atitudes e comportamentos. Felizes aqueles começam a prática da tolerância a prtir de si. E irradiam através da superficialidade e miserabilidade do mundo seus benefícios!!
    Como a "Lei de Gerson" a " Tolerância Zero" está semanticamente equivocada!!

    Alôha querida amiga!!

    Hod.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, querida Nanda!

    Sabe, de vem em quando, meu lema tem sido "tolerância zero"!!! rsrs...

    Mas é engraçado como em algumas situações, nós tendemos a ser bastante tolerantes e, em outras, não...

    E também, dependendo do momento, da fase em que estamos, isto tende a aumentar ou a diminuir...

    Seja qual for o caso, eis aí um sentimento que preciso exercitar muito ainda! Já pensei muito sobre isto... Um dia chego lá!!

    Beijão, tenha um ótimo dia!!

    ResponderExcluir
  5. adoro eses textos daqui.. a minha prima começo ler vc, curtiu muito. Afinas suas mensagens sempre são tão legais.
    Bsos

    ResponderExcluir
  6. Hod:

    Acho que a tolerância zero só é boa quando está relacionada a atos criminosos, então precisamos colocar limites, mas tolerar diferenças é fundamental para convivermos em paz!
    Bjão!



    Regina:

    Como disse acima, tolerância zero tem hora, e é nos momentos nos quais temos que colocar limites em certos comportamentos que desrespeitam o direito de alguém.
    A tolerância que eu falo aqui é a capacidade de respeitar diferenças convivendo pacificamente com ideias e estilos de vida diversos.
    Bjão!

    ResponderExcluir
  7. GrandeR@O:

    Obrigadaaaa!!!!!
    Que bom! Espero poder conhecê-la!
    Fico feliz com seus comentários e visitas!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  8. Olá Nanda!

    A tolerância é algo muito importante nas relações interpessoais. É necessário muito bom senso para a praticar e isso só vamos adquirindo com as nossas experiências. Mas penso que é sempre bom lembrar e escrever sobre o assunto. É uma forma de ajudar a interiorizar o conceito.

    Parabéns, amiga!

    Beijos
    Luísa

    ResponderExcluir
  9. Olá, Nanda
    Ah, a tolerãncia aceitar o diferente, aceitar pessoas que pensam e sentem de maneira divergente da nossa ,de fato é um ato de maturidade.O Brasil essa semana fez um gesto e tanto de tolerância ao receber a visita do polêmico Mahmoud Ahmadinejad,o presidente do Irã. O presidente lula, recebeu duras críticas por isso.ora na minha opinião foi uma atitude tolerante e democrática.pois o mesmo já tinha recebido os presidentes da autoridade nacional da palestina, e shimom peres presidente de israel.quer mais diversidade que isso?! receber pessoas tão antagônicas

    beijos no coração!

    ResponderExcluir
  10. Essa tolerância faz muita falta. Sem dúvida. Bonito post. Parabéns.

    ResponderExcluir
  11. Como dizia o saudoso Sócrates...só sei que nada sei...bem, se eu for igual em humanidade ao outro, saberei que ele nada sabe...

    Quanto não se tem nada, nem a opulência do dinheiro nem a arrogância do conhecimento (meramente especulativo, apesar de tudo, pois é relativo), ficamos mais propensos a ficarmos receptivos, ouvir mais ao invés de metralhar o outro sem nem mesmo perceber o que outro está falando.

    Muitas vezes somos deicados falando sozinhos e nem percebemos. Só percebemos o quanto nosso é feio, desde o nascimento!!

    Bjs Nanda!!

    ResponderExcluir
  12. Luísa:

    É isso que eu penso, primeiro falamos muito sobre até o conceito ser internalizado, então partimos para a prática e depois colhemos os resultados desse esforço!
    Obrigada!
    Bjão!



    Rô Castro:

    Sabe que eu penso do mesmo jeito?!Lula recebê-lo não significa dizer que concorda com suas ações, mas que dá espaço para o outro falar.
    Também acho estranho combater intolerância com intolerância, mas nesses casos específicos de política eu tenho pouco conhecimento.
    Que bom pensarmos parecido!!
    Bjão!



    Antônio:

    Obrigada!
    Podemos nos esforçar para criá-la cada vez mais!
    Bjão!



    Ebrael:

    É verdade, a escuta precisa do vazio. E é preciso nos esvaziarmos de nossos pretensos conhecimentos para sermos tolerantes!
    Muito boa consideração!
    Bjão!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.