segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Mulheres descartáveis




Escrevi esse comentário para uma matéria da Época, na qual o autor afirma que as mulheres, hoje, estão mais infelizes do que há 40 anos atrás. Para entender melhor o comentário sugiro que leiam a matéria clicando aqui. E se puderem me dêem sua opinião, principalmente as mulheres.

O comentário:
Tenho visto tudo isso que vc aponta, mas também tenho visto outras coisas.

Homens brigando para ficarem com os filhos no divórcio, se reunindo pelo direito de serem sensíveis, podendo expressar melhor seu afeto por filhos e esposas...

Vejo mulheres pouco maduras para escolher um companheiro, ainda não sabendo usar sua liberdade a seu favor, vivendo uma falsa modernidade e sendo atacadas por conceitos antigos do homem salvador, o príncipe.

Ainda precisamos amadurecer muito para vivermos na companhia um do outro sem nos ferir tanto.

Mas acho que a infelicidade das mulheres tem a ver com sua própria confusão de papéis, valores e expectativas.

Não sei se lealdade verdadeira um dia existiu, tínhamos medo do inferno, portanto ficávamos pianinho... Agora estamos desvairados, é certo, mas com mais chances de criar uma real lealdade, aquela por escolha e não dever.

Trabalho ouvindo mulheres há 10 anos, acho que o que se precisa é consciência de si, regatar a auto-estima e ver um homem apenas como isso: um homem, criado para ser um eterno filho, um menino, manufaturado por mães (mulheres) para continuarem assim infantis, egocêntricos, auto centrados.

Quando nós mulheres tomarmos nossa própria vida nas mãos, sem esperar um salvador masculino, poderemos nos relacionar de igual para igual, então escolheremos um pescador (ler o texto da Época)melhor, ou nenhum se não tiver. Sem drama, entenderemos que podemos também ser felizes em nossa solitude. E encontraremos outras pessoas para compartilhar nossas tarefas.


E você tem andado infeliz com a modernidade?

Namasté!


Leia Também:
Maridos gostam da companhia de esposas?

Outro texto muito interessante sobre o assunto: O Mito da Mulher Triste


20 comentários:

  1. É, bom post Nanda.

    Diria que eu tenho um artigo sobre felicidade feminina, no meu blog, que foi o primeiro da net a postar que mostra mesmo a queda da felicidade feminina.

    Isso é bizarro mas só demonstra a realdade: Esse feminismo e modernidade só destroi as mulheres.

    ResponderExcluir
  2. òtimo, Nanda, bem o que eu acho, há muitos conflitos e a mulher não sabe lidar com isso tuso. Queria te convidar p/ participar do blog do filósofo ghiraldelli, se q vc vai adorar. bjs

    ResponderExcluir
  3. Nanda, eu acho que a mulher se desvalorizou, não por estar trabalhando, mais independente, mas porque na ansia de mostrar algo mais, de querer ser como os homens no trato afetivo, se vulgarizaram. Um grande número colocou uma nuvem preta na cabeça de outras sensacionais...

    ResponderExcluir
  4. Nanda

    Já dialogamos sobre isso em um outro momento e você me disse que criaria um post, e vejo que é este.

    As questões relativas às dificuldades que as mulheres enfrentam, não só no Brasil, mas em todo o mundo, é resultado de uma cultura que se desenvolveu favorecendo ao homem em diversos aspectos.

    Um olhar atento à antropologia social irá nos mostrar as razões da situação da mulher nos diversos momentos da história. A situação está mudando, mas como hábitos e cultura necessitam de tempo para serem formados,a mudança dos mesmos também necessita.

    Claro que para muitos, essa espera é angustiante, mas cada ação, justa na Lei da Natureza, para mudar essa realidade terá exito.

    Há, ainda, uma pesada carga sobre as mulheres fazendo com que muitas vivam no limite de suas capacidades.

    Açoes que despertem, verdadeiramente, a consciência da sociedade para essa situação é um dos passos para o exito de uma relação mais justa. Muito já foi conquistado e isso é muito bom.

    Parabéns pela abordagem de um tema pertinente e polêmico. Aliás, não é à toa que eu lhe admiro e a chamo de livre-pensadora.

    Um abraço.

    Nelson

    ResponderExcluir
  5. Nanda
    Precisava confiar mais em pesquisas e porisso tenho
    dúvidas quanto mulheres mais infelizes que os homens.O que sinto é por ser as mulheres mais sensíveis são também sujeitas a maiores momentos tristes. Na medida que elas se conscientizarem que não precisa se preocupar tanto com a beleza física ou começar a exigir beleza igual dos homens ,continuar transferindo os encargos domesticos aos seus companheiros e ir à luta sem precisar das pensões deles, aí se mais seguras, é isso que a mulher precisa - auto estima elevada, tanto quanto a deles. Sei lá, Nanda.Li alguns comentários e o texto do Ivan Martins e tirei poucas conclusões.
    Gostei do seu comentário , é isso auto estima.E deixa o homem se virar sozinho , nada de lavar roupinha suja dele. hehehe
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Mulheres não são felizes e nunca foram.
    São contentes se tiverem sorte.
    Pois têm o maldito talento de viverem para os outros, com os outros, num sentido de amor seja lá que tipo for.
    Mas vejo mais problemas em mim do que na história pessoal de minhas avós. E nenhuma avó foi submissa a homem ou circunstância não, eram as duas, mulheres resolvidas.
    Esta é minha opinião.

    ResponderExcluir
  7. Nanda querida,

    Gostei do artigo do Ivan, e também gostei muito do seu comentário.

    Eu me considero uma mulher feliz, tenho amigos, filhos criados, uma profissão que me realiza, mas às vezes me sinto "solitária" de um bom companheiro, talvez por falta de opção...

    beijinhos, linda! Adoro seu blog!

    Neli

    ResponderExcluir
  8. Olá Nanda tudo bem?

    Li e adorei seu comentário no Fio de Ariadne (Educação Financeira) e por esta razão vim lhe convidar para participar da Blogagem Coletiva Educação Financeira Infantil. Tenho certeza que você tem muito a contribuir neste que é um assunto de suma importância.
    PAra participar entre http://migre.me/ayGk e pegue o selinho e depois me avise sobre o link para que eu possa incluir e divulgar no tuiter.
    Estou te esperando, ok!
    beijinhos

    ResponderExcluir
  9. A mulher moderna é uma mulher com novas perspectivas, novas inquietudes e diferentes aspiracoes.
    Nossa dificuldade está em lidar com tudo isso ao mesmo tempo, ainda que algumas consigam, de alguma maneira, ordenar isso em suas vidas.

    O homem, nesse universo, entra para complementar (NAO COMPLETAR!!!).

    O universo masculino talvez seja algo mais simples que o feminino, nao sei. Ainda que haja certos conflitos, vejo o homem moderno centrado, porem, egocentrico (obra das mulheres...)

    Sobre alguns comentarios que vi acima de que a mulher está se desvalorizando, vi alguns exemplos.
    Mas nao devemos generalizar porque nem todas tem o mesmo comportamento, nem o mesmo entendimento.

    Os papéis do homem e da mulher sao diferentes na sociedade. Entao, essa teoria de igualdade de genero, falha.

    Nao temos que nos preocupar tanto em fazer o que os homens fazem.
    Temos que preocupar-nos de fazer melhor. Agora temos mais possibilidades que séculos atrás e se temos a sorte de encontrar um homem que queira compartir, que estimule tudo isso na nossa vida, isso será Felicidade.

    A independencia feminina chega qdo ela decide estar no caminho que ela quer estar, fazendo o que quer fazer e estando com quem quer estar.
    Já nao temos para que estar disputando espaco cada vez maior. Já o possuimos.

    Temos que ser mais que mulheres, mulheres inteligentes.

    Amei o post!

    Bssssss Fe

    ResponderExcluir
  10. Deixei um selinho para vc lá no meu blog:

    www.spainmarketinglife-2.blogspot.com

    Bsssssssssssssss Fe

    ResponderExcluir
  11. Olá, Nanda

    Nossa que tema.Aqui cabe o binônio-Complexo-polêmico,pois tange o comportamento atual de homens e mulheres.Será que nossas mães e pais eram mais felizes que é hoje?sim,do ponto de vista tecnológico,social,mesmo vivendo nos anos de chumbo.Acredito que essa questão depende do comportamento individual de cada um. Existem mulheres eternamente a procura de seus príncipes encantados há uma projeção ,uma idealização, não alguém que represente a realidade.Quando "acordam' é quase tarde demais.E os homens como abordou Collete Dawling em seu livro complexo de Peter Pan,que é uma variação feminima de complexo de cinderela.Ambos são emocionamente imaturos.No complexo de Peter Pan, o homem é avesso a compromissos se comporta como um eterno adolescente.Mas detesto generalizações há comportamentos individuais ,não devemos colocar todos no mesmo saco.. como há mulheres que desvalorizam a figura feminima.Vide, essas mulheres frutas da atualidade: mulheres melância ,morango e afins.O que conta realmente que passamos pela fogueira,a queima dos sutiãns e até hoje lutamos pela igualdade de nossos direitos sem perder a feminilidade.
    beijos no coração

    ResponderExcluir
  12. Sílvio:

    Olha que legal, porque vc não deixou o endereço?
    Eu vou la´procurar!
    Mas não acho que só destrói não... Ele trouxe coisas boas e ruins, precisamos é elaborar as ruins.
    Bjão!



    Joyce:

    Precisamos de tempo para assimilar tudo e fazer disso algo melhor!
    Já estou participando do blog!
    Bjão!



    Sissym:

    Isso, acho que exageramos na dose mesmo, mas às vezes é preciso para se ganhar equilíbrio...
    Precisamos tirar essa nuvem preta da cabeça!
    Bjão!



    Prof Nelson:

    Obrigada por complementar meu comentário!
    Sinto assim também, acho que a "infelicidade" das mulheres tem a ver com uma fase de adaptação de ambos os sexos.
    A mulher perdeu algumas coisas e ganhou outras, mas ainda chora por aquilo que perdeu.
    Também penso que precisamos falar desse assunto elaborar, abrir a consciência para ajustar as conquistas e perdas.
    Obrigada!
    Bjão!



    Lis:

    Concordo, precisamos restaurar nossa auto estima, claro que isso vai levar um tempo, pois são milênios de massacre feminino.
    Vc vai gostar de um texto que publicarei este mês pelo dia internacional do homem!
    Bjão! E obrigada pela sua opinião!



    Barbara:

    A vida não deve ter sido fácil para vc...
    Mas não desista! Se suas avós, com menos recurso, conseguiram vc também pode!
    Viver para o outro, necessariamente não traz infelicidade, mas poucas pessoas têm realmente essa habilidade, a maioria se sente obrigada e sem escolha.
    Talvez por isso fiquem tristes.
    Obrigada pela sua opinião!



    Neli:

    Acho que vc também vai gostar de meu texto para o dia dos homens! Eles não são criados para fazer companhia a mulher nenhuma...
    Que bom vc poder ter aproveitado as conquistas das mulheres para ser feliz, isso é uma arte!
    Bjão!



    Cybele:

    Nossa que legal!!!
    Vou lá!
    Bjão!



    Fernanda:

    Concordo com vc, organizar tantas coisas com pouca prática é difícil mesmo!
    Também acho o homem mais simples, no bom sentido.
    Sim, também acho que o egocentrismo dos homens tem a ver com as mães!
    Não existe igualdade de gêneros e sim de direitos humanos!
    A independência humana chega assim quando nos descobrimos e reconhecemos o que nós queremos.
    Adorei seu comentário!!
    Muito obrigada!
    Bjs!



    Rô Castro:

    Sim isso tem a ver com homens e mulheres.
    Às vezes penso que era uma felicidade meio cega a de nossos ancestrais eles tinham poucas escolhas e se contentavam com o que tinham...
    Também acho que ainda estamos nos primórdios da maturidade emocional.
    e que muito da tristeza feminina tem a ver com idealizações.
    Precisamos sim, verificar nossos ganhos e elaborar as perdas para atingirmos o sabor de todas as conquistas femininas.
    Bjão!

    ResponderExcluir
  13. Oi Nanda, tudo bem?

    Bem acho que já falei aqui sobre isso, mas enfim, eu acho que a mulher ao longo dos anos ela vem se desvalorizando em função da necessidade em querer se comparar aos homens sejam no campo afetivo, sejam no campo profissional etc. Digo no sentido de que as mulheres passaram tanto tempo buscando uma igualdade que nessa ânsia passou a cometer vários erros antes criticados por elas mesmas direcionado aos homens. É claro que não podemos generalizar, porém essa é a imagem que acaba ficando velada, marcada. E não estou sendo nenhum um pouco machista nesse comentário muito pelo contrário, pois sou totalmente pró as mulheres.


    Beijos
    Paulo Ka

    ResponderExcluir
  14. Paulo Ka:

    Obrigada por sua contribuição!
    Vc tem razão quando diz que o exagero produz a infelicidade na maioria das mulheres.
    Penso que a dificuldade em se descartar do velho também!
    Estamos precisando começar a equilibrar isso, e constatar é o melhor começo!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  15. Nanda,

    Acho que as mulheres pecam em tentarem reproduzir estereótipos fracassados de homens, como alta competitividade, certa desfaçatez. As mulheres precisam se valorizar mais, de verdade, visto que segundo dados do IBGE são mais capacitadas- tem mais escolaridades mas ganham menos que os homens.

    ResponderExcluir
  16. Marcos Vinicius:

    Sim, o primeiro movimento seria copiar o opressor, querermos a força dele, então imitamos seus gestos. Mas tenho certeza que não vai ficar por aí. Mais para frente as mulheres, vão encontrar sua própria maneira de ser forte!
    Obrigada!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  17. OI NANDA,
    CONCORDO COM SEU COMENTÁRIO E VEJO MUITAS MULHERES INDEPENDENTES FINANCEIRAMENTE, ÓTIMAS PROFISSIONAIS, ESPERANDO O PRINCIPE ENCANTADO!!!
    TADINHAS...
    SÓ PRA VARIAR PODERIAM PROCURAR TAMBEM UMA PRINCESA ENCANTADA, OU SEJA, A SI MESMAS, E SE DESENCANTAR DA ILUSÃO.
    BEIJOS SAUDOSOS
    DIANA

    ResponderExcluir
  18. Diana:

    Êba!! Saudades de vc!
    É isso! Primeiro a princesa, depois vemos o sapo e com a inteligência os transformamos em príncipes!
    E se desencantar da ilusão é primordial, dói, mas o resultado é magnífico!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  19. Oi Nanda

    Na verdade tenho visto é muita confusão.
    Com as mulheres, e com os homens.
    Ninguem sabe mais direito como se portar, o que é bom ou não.
    Tantos conceitos e pré-conceitos tombaram por terra valores, e amores.
    Todos estão carentes.E sem a mínima idéia do que fazer.

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.