quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

A única doença que existe é a infelicidade.



Vendo as pessoas sofrerem observei que a raiz de qualquer mal estar psíquico é a infelicidade. Se você for ao fundo de qualquer depressão, síndrome do pânico, fobias, transtornos obsessivos compulsivo, vai encontra um ser profundamente mal realizado. Isso mesmo! Alguém que não se plantou plenamente em si, alguém insatisfeito consigo e com suas realizações, alguém de mal com a vida, seja porque se acha um fracassado, seja porque aconteceu algo que contraria seus desejos.

Ainda acreditamos que nossa felicidade depende do que acontece ou deixa de acontecer conosco. Então como folhas secas rodopiamos ao sabor do vento, circunstanciais. Se o vento é favorável, vai para onde achamos que deve ir, ficamos contentes; se o vento se dirige para um lugar indesejado, ficamos aborrecidos. E se ficamos assim por longa data, sendo contrariados, terminamos doentes, criam em nossa mente e cérebro, desarranjos hormonais e de fluxo de pensamento, suficientes para nos tornar pessoas desanimadas, cheias de manias ou com medo de tudo.

A única cura que conheço é a felicidade e para mim ela só chega quando se desatrela o estado de humor do que acontece na vida, e veja bem, eu não estou falando de alegria e tristeza que são apenas estados emocionais superficiais, estou falando de conhecimento e realização. Uma pessoa feliz pode ficar triste com um fato, mas não deixa de ser feliz por causa disso. Ela é auto-realizada, plantada em si mesma, observando um fato triste da vida, ela chora, lamenta, vivencia o infortúnio e sai dessa situação, inteira, recuperada e com aprendizados a sedimentar. Sua capacidade de ver a vida positivamente não se abala, ela confia que mesmo sem entender muita coisa na vida, esta é uma experiência primorosa.

Uma pessoa auto-realizada está curada, está saudável, ela não cai e fica derrubada, se lamentando eternamente até ficar doente fisicamente. Uma pessoa feliz até quando fica doente ou seu corpo deteriora, vê a beleza da existência e da finitude. A única cura que conheço foi a que Buda (Sidarta Gautama) descobriu. A auto realização.

Namasté!

Leia também:
Não sofrer com derrota
Nós já estamos num mundo melhor
Como fracassar na vida e ser feliz

17 comentários:

  1. Olá Nandinha,

    Grandes reflexões tiramos deste texto.
    Para alguns pode até significar respostas de tudo aquilo que estão anos tentando entender.

    Adorei sua forma de explorar esse motivo.

    Parabéns amiga!!

    Bjos da Ju

    ResponderExcluir
  2. Sábias palavras (como sempre)! Eu queria ter uma amiga assim! rsrsrs
    Seu texto resume a filosofia conhecida como "Estoicismo"!
    Um abração, amiga (e que amiga!) Nandita! Um excelente fim de semana para vc!
    Namasté!

    ResponderExcluir
  3. Juliana:

    Olha! Será? Penso que as pessoas nunca ficam satisfeitas com respostas... rsrsrs
    Fico feliz de vc gostar de meu estilo!
    Obrigada!!
    Bjão!



    Seu Land:

    Sabe que eu também acho?!
    Vc já tem uma amiga assim! rsrsr
    Quando eu escrevi este texto eu não estava pensando no "Estoicismo"... Mas ano passado eu li o manual de Epiteto e achei que eu, numa outra vida fui definitivamente sua aluna! kkkkk
    Tudo que o homem dizia eu já pensava e concordava, foi amor a primeira vista, eu quem sabe um reencontro kármico!? kkkkk
    Bjão!

    ResponderExcluir
  4. Nanda, a infelicidade realmente consome as energias, coloca a estima para baixo, tira a vontade de fazer e acontecer. Mudar esta situação depende não somente da propria pessoa, mas algumas vezes de um conjunto de fatores externos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. o problema dos dias de hoje esta justamente em auto se realizar
    os meios em que convivemos acaba nos levando por um caminho de frustrações e decepções é dificil se sentir auto realizado com tantas barreiras que nos são postas,com tanta discriminação,e desigualdade social e principalmente com essa ideia consumista e desenfreada que a midia enfia na nossa cabeça todos os dias

    ResponderExcluir
  6. Sissym:

    Por isso diferenciei felicidade de alegria... A alegria é variável, a felicidade, do jeito que conceituo aqui, não, então ela não depende de fatores externos.
    É justamente sobre isso que estou falando, é uma boa nova, estou afirmando que a felicidade, do jeito que conceituo aqui, não está a mercê de nada fora da gente!
    Bjão!



    Marcos:

    Novamente, afirmo como fiz acima, estou conceituando felicidade de uma maneira diferente, essa não depende dos meios em que convivemos.Estou convidado as pessoas a visitar um lugar diferente, onde as desigualdades sociais e ideias consumistas não chegam. Um lugar dentro de vc só alcançado através da meditação.
    Bjão!

    ResponderExcluir
  7. Bela texto, Nanda. Não sei se sou uma pessoa totalmente realizada, pois tenho uma alma inquieta, mas pelo menos, corro atrás dos meus sonhos.
    Um beijo pra você

    ResponderExcluir
  8. Olá,nanda
    Felicidade X Infelicidade placar ??no jogo da vida .Jogadores a raça humana. A felicidade é a satisfação de ser humano em ser atendido em seus desejos ao passo que a infelicidade seria a não realização desse desejos atendidos Simples, não ?! Não definitivamente não, felicidade é algo tão particular O que pode
    fazer-me feliz talvéz faça vc triste .Ex: Sou uma agente funerária fico feliz com os "defuntos" o mesmo não se pode dizer dos parentes do finado não é mesmo ?! felicidade plena não existe vivemos momentos de felicidade.Nós fazemos escolha o tempo todo por que não escolhemos ser felizes!

    Um xero sabor de maracujá!

    ResponderExcluir
  9. RÔ:

    Oi querida! Dei um conceito diferente para felicidade, como algo perene e imutável, então ele não varia ao sabor das circunstâncias. Felicidade para mim tem a ver com auto realização espiritual, quase um Nirvana.
    E destaquei o que varia na vida com os nomes de Alegria e Tristeza. Então o que oscila de acordo com os eventos é a alegria e a tristeza que são emoções mais superficiais.
    Vc deve estar se perguntando, isso não é só semântica? Em parte sim, mas acredito que se somos mais precisos em nossa descrição podemos manter com mais facilidade a consciência desperta. Acho que é uma questão didática, dar nomes mais precisos ao que acontece dentro da gente.
    E claro que ter consciência de que sempre somos nós que escolhemos ajuda muuuuito!!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pelo texto e pelo blog, é ótimo encontrar palavras de sabedoria como essa em momentos dificeis, continue passando a sua mensagem, realmente é muito importante para muitas pessoas, mais uma vez parabéns!

    ResponderExcluir
  11. deimis:

    Obrigada!!!
    Fiquei feliz de você ter gostado do meu estilo de escrever e do blog!
    Espero que volte sempre!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  12. Nossa, Nanda!! É exatamente isso!!

    Eu sempre achei e ainda acho que a verdadeira felicidade só chega quando nos sentimos realizados...

    Porque como você disse, as pessoas realizadas podem passar por tristezas, mas elas são momentâneas e não fazem tempestade com nada, porque são e estão sempre centradas em si, porque se amam...

    Eu ainda estou neste processo de me sentir realmente realizada... mas estou lutando aqui para que este dia chegue logo!!

    Ótimo texto!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  13. Regina:

    Uma pessoa sentada em si satisfeita consigo de verdade, não busca mais nada fora. Então ela pode vivenciar tudo de forma mais serena e permanente...
    Essa é uma boa jornada!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  14. oi veja o meu blog de síndrome do pânico, obrigado.

    http://sindromemm.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. OI !!!!!
    GOSTEI DO QUE LI, MAS A VERDADE É ME SINTO DOENTE E SEM FORÇAS. PARA O MUNDO SOU FELIZ, MAS QUANDO PASSO PELA PORTA DE CASA E ME TRANCO DENTRO DE MIM, PERCEBO QUANTO SOU INFELIZ. TALVEZ SEJA ERRADO MEDIR A FELICIDADE PELO TERMOMETRO DOS SONHOS REALIZADOS, MAS EU NÃO SEI COMO MEDIR.
    SOU FORMADA EM HISTÓRIA MAS DETESTO LECIONAR, AMO PESQUISA MAS DEPOIS DE FORMADA NADA DEU CERTO E TUDO QUE EU QUERIA SE AFOGOU. SOU CASADA E ACHO QUE O MEU RELACIONAMENTO TAMBÉM ESTA NAUFRAGANDO, NUNCA TRABALHEI E COM 32 ANOS FICA CADA VEZ MAS DIFICIL, E O PIOR FUJO DE TODOS OS PADRÕES DE ESTETICA ESTABELECIDOS PELO MUNDO E QUANDO VOU A UMA ENTREVISTA VEJO OS OLHARES E OUÇO A SEGUINTE FRASE " VOCÊ NÃO SE ENCAIXA NO PERFIL QUE PROCURAMOS". ESTOU LOUCA PARA ENGRAVIDAR MAS A CADA DIA PERCEBO QUE MEU MARIDO ATÉ QUE UM FILHO MAS SEMPRE QUE FALO SOBRE ISSO COM ELE PERCEBO QUE ELE NÃO QUER ESSE FILHO COMIGO E NA VERDADE NUNCA QUIZ, JÁ QUE A SEIS ANOS ATRÁS FIZ UM ABORTO, ALIAS ESSE É OUTRO MOTIVO PARA A MINHA INFELICIDADE, NUNCA, NUNQUINHA ME PERDOEI POR TER CEDIDO A PRESSÃO DELE E ACREDITO QUE DE UMA FORMA OU DE OUTRA NUNCA O PERDOEI TAMBÉM.
    PARA ENCERRAR ESSA VERBORREIA DE INFELICIDADE, EU ESTOU MERGULHADA EM UM MAR ESCURO DE SOLIDÃO.

    ResponderExcluir
  16. Querida:

    Se vc se sente doente e sem forças a primeira coisa que deve fazer é recuperar as forças e a saúde.
    Talvez um trabalho psicoterapêutico ajude, para mim funcionou muito!
    Quando tinha 22 anos estava assim como vc e tive a ideia de fazer terapia o que resultou praticamente na virada de minha vida. Experimente!
    Ah! Experimente também Florais de Bach, o Rescue pode lhe ajudar inicialmente.
    Bjão!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.