sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Harry Potter e a Pedra Filosofal


J.K. Rowling
Tradução: Lia Wyler
Rio de Janeiro: Rocco, 2000
263p




Ok, estou “um pouco” atrasada, mais precisamente dez anos! Porém repito, eu não vivo no tempo de todo mundo, nem à frente dele, na maioria das vezes venho muito atrás...

Este livro chegou as minhas mãos no começo de 2010, de uma forma inusitada. Conheci uma jovem numa locadora e conversando sobre filmes adaptados de livros, ela me contou que Harry Potter havia marcado sua adolescência, e que a acompanhou enquanto crescia. Ficou tão feliz que disse para mim: “Você precisa ler esse livro! Eu vou emprestar o meu para você! Não pude dizer não a tamanho entusiasmo. Na outra semana estava com o livro impecavelmente bem conservado nas mãos... Eu li! Já havia assistido ao filme e fiquei impressionada em como o cinema foi fiel ao livro!

Por incrível que pareça no filme dá para sentir melhor o tom de amizade, solidariedade e amor que no livro, mas isso está bem registrado lá. Meu personagem preferido é o Dumbledore, que não é muito marcante no livro só aparecendo apropriadamente no último capítulo (meu preferido).

Para mim é uma boa história! Com bons exemplos para adolescentes. A amizade, a solidariedade e a justiça imperam. A visão de uma sabedoria calma e bem humorada na figura de Dumbledore, da necessidade de disciplina da professora Minerva, o “mal” em Voldemort, a amargura em Snapes, a inocência e força animal em Hagrid. E... A juventude impetuosa, impulsiva, mas desejosa de aprender a agir corretamente nos três personagens principais. Tá tudo bem medido para ensinar como crescer de forma divertida. Simplesmente adorei!

Frases que me chamaram atenção:

“Não existe o bem e o mal, só existe o poder, e aqueles que são demasiado fracos para o desejarem...” Prof. Quirrell citando Voldemort p248

“Para uma mente bem estruturada, a morte é apenas a grande aventura seguinte.” Dumbledore explicando a morte para Harry p253

“O problema é que os seres humanos têm o condão de escolher exatamente as coisas que são piores para eles.” Dumbledore explicando para Harry porque deveria destruir a pedra filosofal p 254

“Chame-o Voldemort. Sempre chame as coisas pelo nome que têm, O medo de um nome aumenta o medo da coisa em si.” Dubledore para Harry p 254

“A verdade é uma coisa bela e terrível, e, portanto deve ser tratada com cautela... Vou responder suas perguntas, a não ser que haja uma boa razão para não fazê-lo... Não vou, é claro, mentir.” Dumbledore explicando a Harry sobre o que é verdade e mentira p 254

“Imagino que tivesse uma boa idéia do íamos tentar fazer e em lugar de nos impedir ele simplesmente ensinou o suficiente para nos ajudar.” Harry entendendo as atitudes de Dubledore p 258

“Existe todo tipo de coragem. É preciso muita audácia para enfrentarmos os nossos inimigos, mas igual audácia para defendermos os nossos amigos.” Dubledore explicando coragem através da atitude de Neville p 261


Achei educativo! Os pais deveriam aprender com o grande Mago...

Boa leitura!

Leia também:
Um grande professor
Guia para pais com pouco tempo e muito carinho
Como nos educar?

Outro livro:
Crepúsculo


 

4 comentários:

  1. VOCÊ ME FODE COM O VALDERMOT - HELLO, É VOLDEMORT

    ResponderExcluir
  2. Anônimo:

    Ops! Desculpe! rsrsrs O que uma letrinha pode fazer, hein?
    Não precisava tanto, era só avisar que eu corrigiria. rsrsrs
    Aprenda a ter calma na vida se o nome de um personagem de livro escrito errado pode fazer tanto com vc imagina algo mais sério...
    Bjão!

    ResponderExcluir
  3. tem mais um nome errado, é Hagrid, e nao Hagrit.
    :)

    ResponderExcluir
  4. Anônimo:

    Se foi a mesma pessoa anterior, melhorou bastante!
    Vou consertar o nome, peço desculpas ao Hagrid. rsrs
    Bjão!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.