terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Santo de Casa não Faz Milagre



Eu soube que Jesus disse ter saído de sua terra por que nela ninguém acreditava que ele era o profeta, ele precisou ir para outras terras para se firmar.

É interessante esse fenômeno, quanto mais íntimo é alguém menos acreditamos em seus conhecimentos! Fiquei pensando se isso não é um reflexo de nossa própria desvalorização. Temos uma ideia internalizada de menos valia. Acreditamos lá no fundo que não somos grande coisa, sabemos que não conhecemos tudo, então projetamos isso em nossos pares, desconfiamos de seus dotes, não botamos fé nele.

Claro que isso é uma suposição. Uma outra hipótese é: nós conhecermos os pontos vulneráveis desse “santo”. Quando vivemos muito próximos vemos suas falhas e como fomos ensinados a não confiar no que falha... Quem está distante dá a impressão que não erra, acho até que por isso achamos que a grama do vizinho é mais verde, como não convivemos com ele vinte e quatro horas por dia não o vemos falhar, então os achamos perfeitos, a perfeição que não temos e que nosso “santo” tem.

Para fazer milagre um santo não pode enganar-se, nós exigimos isso, e isso só acontece na nossa imaginação, quando a criatura está longe de nossa vista, vemos sua vida intermitentemente, só as partes que aprovamos, então ele torna-se autoridade em algo. Se chegamos mais perto, provavelmente nos decepcionaremos.

Vou lhe dizer uma coisa, não existe santo que não se engane, e mesmo falhando fazemos milagres, esses eventos não são exclusivos da perfeição, são movimentos naturais da existência. Vamos aprender a confiar no santo de casa!

Namasté!


Leia também:
Arrogância
Sabedoria Coragem Fé
Buscar a perfeição

12 comentários:

  1. Brilhante forma de ver a questão. Belo texto.
    Paz e sucesso!

    ResponderExcluir
  2. lininha, passei p avisar que tem selinho p vc no meu blog!! passá-la p uma visitinha e pegue seu presente.

    bjocas

    http://ivafpacini.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Nanda

    Essa é uma questão que estou constantemente a refletir. Concordo com as suas colocações e acredito que existam outros fatores.

    Considero muito útil este post.

    Um abraço.

    Nelson

    ResponderExcluir
  4. Olá, Nanda
    Gostei da metáfora do santo de casa não faz milagre.Éverdade temos que acreditar em nosso potencial. valorizar nossas conquistas. A grama do vizinho e verde e daí? e nossa também..

    beijos no coração

    ResponderExcluir
  5. Interessante seu post, a tendencia é olharmos mais para o exterior doque para o interior. a paz!

    ResponderExcluir
  6. Paz Nanda!
    Jesus é o nosso modelo e exemplo em tudo. Ele experimentou o que todos nós experimentaremos um dia: solidão, traição, rejeição, discriminação, dor... morte. Ele tem a resposta para tudo! Neste aspecto também: Santo de casa não faz milagre, mas se formos em outras "aldeias" faremos muitos milagres Mc 6.4-6). Está Escrito: "E da Galiléia, Decápolis, Jerusalém, Judeia e dalém do Jordão numerosas multidões o seguiam" (Mt 4.25). Não ser reconhecido por familiares não é indicativo de que as coisa não acontecerão na nossa vida.

    Roberto Marques
    http://movimentofeetrabalho.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Pr Edmilson:

    Obrigada!!!!
    Bjão!



    Ivani:

    Obrigada vou lá buscar!!
    Bjão!



    Prof. Nelson:

    Obrigada, mas fiquei curiosa sobre os outros fatores... Espero que volte para me contar!
    Bjão!



    RÔ:

    Isso! Aprender novas perspectivas!
    Yes we can!!!
    Bjão!



    Ismaelita:

    Nossos olhos são voltados para fora, não é? Enxergar dentro é uma subversão!
    Bjão!



    Roberto:

    Sim! Mas a proposta aqui é reconhecer familiares também!
    Eles merecem nossa consideração!
    Obrigada!!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  8. Nanda

    Eu apenas acredito, não tenho a certeza. Mas "en passant" eu posso dizer que existe um fator que tem ligação com o primeiro que você citou no seu post. Este outro fator, eu acredito que é a inveja.

    Sei que eu não acabei com toda a sua curiosidade, pois citei apenas um, mas como eu disse, eu acredito que existam outros, é uma questão de "feeling", a certeza ainda não veio.

    "Tudo o que digo deve ser entendido não como uma afirmação, mas como uma pergunta." Niels Bohr (um grande Físico)

    Um abraço para uma amiga curiosa.

    Nelson

    ResponderExcluir
  9. Prof Nelson:

    Não havia pensado por esse ângulo, mas sim, pode haver inveja também...
    O desejo de destruir a credibilidade do outro pode estar baseado nela, já falei sobre isso aqui nos textos sobre inveja.
    Quando tiver mais firmeza sobre os outros fatores me conta, tá bom?
    Obrigada por voltar e aplacar minha curiosidade!!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  10. Outro fator que afeta o Santo de casa, é que conhecem muito dele,conhecem sua história desde o começo.As vezes é um filho de lixeiro que vira doutor,onde por conhecerem sua história, nunca vai passar do filho do lixeiro. Vão olhar pra ele e dizer: esse aí, esse aí é o filho do Pedro,lixeiro,conheço desde pequeno. Conhecem suas origens, e isso dá descrédito. Mas é claro que isso não acontece só nas camadas mais pobres,foi só um exemplo. Acontece em todas as camadas.

    ResponderExcluir
  11. Valério:

    Sim, temos uma tendência a desvalorizar o que conhecemos...
    Somos atraídos pelo mistério. rsrs
    Abraços!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.