segunda-feira, 12 de abril de 2010

O dia em que a terra parou




Raul Seixas foi um ser muito interessante, suas letras são de uma lucidez fantástica. Nessa música penso que ele fala de nossa interdependência. Todos precisamos de todos, nossas funções e tarefas são sempre para o outro e a do outro para nós. Mas acho que não nos damos conta disso. Pensamos, no fundo, que vivemos sós e fazemos tudo solitariamente. Às vezes até expressamos isso dizendo: “não tem ninguém por mim no mundo”. Porém em uma segunda vista podemos observar que isso não é verdade. E quando um grupo para de executar suas funções sentimos a existência como um corpo doente, funcionando mal. Estamos todos interligados, somos todos de todos.

Está na hora de ter consciência disso, na hora de acordar para entender que todos somos órgãos de um corpo maior, que trabalhamos em conjunto para um equilíbrio que ainda não entendemos bem, pois nosso cérebro não alcança a magnitude.

Somos todos um!

Cantem e dancem!



O Dia em que a Terra Parou

Raul Seixas

Composição: Cláudio Roberto / Raul Seixas
Essa noite eu tive um sonho
de sonhador
Maluco que sou, eu sonhei
Com o dia em que a Terra parou
com o dia em que a Terra parou
Foi assim
No dia em que todas as pessoas
Do planeta inteiro
Resolveram que ninguém ia sair de casa
Como que se fosse combinado em todo
o planeta
Naquele dia, ninguém saiu saiu de casa, ninguém
O empregado não saiu pro seu trabalho
Pois sabia que o patrão também não tava lá
Dona de casa não saiu pra comprar pão
Pois sabia que o padeiro também não tava lá
E o guarda não saiu para prender
Pois sabia que o ladrão, também não tava lá
e o ladrão não saiu para roubar
Pois sabia que não ia ter onde gastar
No dia em que a Terra parou (Êêê)
No dia em que a Terra parou (Ôôô)
No dia em que a Terra parou (Ôôô)
No dia em que a Terra parou
E nas Igrejas nem um sino a badalar
Pois sabiam que os fiéis também não tavam lá
E os fiéis não saíram pra rezar
Pois sabiam que o padre também não tava lá
E o aluno não saiu para estudar
Pois sabia o professor também não tava lá
E o professor não saiu pra lecionar
Pois sabia que não tinha mais nada pra ensinar
No dia em que a Terra parou (Ôôôô)
No dia em que a Terra parou (Ôôô)
No dia em que a Terra parou (Uuu)
No dia em que a Terra parou
O comandante não saiu para o quartel
Pois sabia que o soldado também não tava lá
E o soldado não saiu pra ir pra guerra
Pois sabia que o inimigo também não tava lá
E o paciente não saiu pra se tratar
Pois sabia que o doutor também não tava lá
E o doutor não saiu pra medicar
Pois sabia que não tinha mais doença pra curar
No dia em que a Terra parou (Oh Yeeeah)
No dia em que a Terra parou (Foi tudo)
No dia em que a Terra parou (Ôôôô)
No dia em que a Terra parou
Essa noite eu tive um sonho de sonhador
Maluco que sou, acordei
No dia em que a Terra parou (Oh Yeeeah)
No dia em que a Terra parou (Ôôô)
No dia em que a Terra parou (Eu acordei)
No dia em que a Terra parou (Acordei)
No dia em que a Terra parou (Justamente)
No dia em que a Terra parou (Eu não sonhei acordado)
No dia em que a Terra parou (Êêêêêêêêê...)
No dia em que a Terra parou (No dia em que a terra parou)


Ouçam também:
Vaca profana
Imagine
Getileza

9 comentários:

  1. Eu acho que posso falar. Tenho só 15 lps' do Raul além de poder me gabar de saber tudo sobre ele.. Você foi muito feliz, principalmente na análise d intenção da música. Vi entrevista do Raul falando Maios ou menos isso que você disse. "Fiz essa música para as pessoas verem que a força que têm. A capacidade de mudar as coisas. Cada um na sua, formando um conjunto de ações. As coisas acontecem porque gente deixa." Parabéns. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Carlos:

    Fico feliz de ter uma autoridade em Raul Seixas comentando em meu blog!
    Que bom ter entendido certo o recado de Raul!
    A intenção não era acertar, apenas dizer minha impressão quando escuto a música, mas foi bom saber que captei realmente sua mensagem!
    Obrigada!
    Ah! E virão outras músicas de Raul, se puder avalie as outras também!
    bjão!

    ResponderExcluir
  3. imagine só..."O padeiro nao tava la" seria um pesadelo pra mim.
    ahahaha
    conheço essa música., eu curto as músicas do Raul. E nao o estilo de vida que ele levava.
    abçs

    ResponderExcluir
  4. Nanda,
    Você como sempre muito sensível, traduziu muito bem a alma da música do Raul. Adoro suas músicas.
    O que tem me chamado a atenção são os encontros virtuais, e as amizades que fazemos tão reais. Me pego pensando em alguém do TT, com saudades, com vontade de "conversar".
    A vida é mágica! Não estamos sozinhos!
    Obrigada, beijinhos!

    ResponderExcluir
  5. Oi,Nanda

    As músicas do Raul ao mesmo tempo são como uma viagem e como disse de uma lúcidez..Adoro as músicas dele 'gita','eu nasci há dez mil anos atrás 'são clássicos..
    sim,o louco-sábio Raul sabia das coisas, estamos todos interligados vc captou e descobriu a essência da letra , hoje graças a vc.,descobri também!.
    Obrigada!

    beijos no coração!

    ResponderExcluir
  6. a realidade em forma de palavras, adorei!

    ResponderExcluir
  7. Mr.Jones:

    Ele teve uma vida delirante, como é comum a mentes "antenas", acho que é um efeito colateral...
    Eu também aprendi a gostar da música de Raul.
    Bjão!



    Maria:

    Obrigada!!!
    Parece que eu captei mesmo o significado da música!
    Nunca estamos sozinhos, apenas quando queremos que seja assim...
    Bjão!



    Rô:

    Todo sábio é louco!
    Que bom vc ter gostado de minha interpretação!
    Eu também acho que ele captava bem os recados que precisava dar para a gente, não sei ao certo se usufruia deles...
    Bjão!


    J.B:

    Obrigada!!!!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  8. Raul Seixas foi uma das grandes mentes brasileiras e, como tal, pereceu por estar várias e várias décadas a frente de seu tempo. Seu trabalho continuará atual independendo de tempo, e poucos são os que conseguem deixar um legado assim.

    ResponderExcluir
  9. Pensador Louco:

    Concordo, ele foi um grande canalizador de ideias bem avançadas.
    Pena que não aguentou o tranco, às vezes acontece, teve que usar muita droga e o corpo e mente não aguentam.
    Reverenciemos, então, seu legado!
    Bjão!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.