segunda-feira, 19 de abril de 2010

O que há de errado com a raiva?



Presenciar um ataque de raiva de alguém é muito desagradável. Acho que por isso nos ensinam que ter raiva é errado. Pensando sobre isso cheguei a algumas ideias. Porém antes preciso dizer que: Aprendi na faculdade de psicologia e em anos de terapia que ter raiva não é errado. Mas ainda assim um evento raivoso não é algo que gosto de ter ou assistir.

Bom, minha idéia sobre isso ficou assim: sentir raiva não é errado, é um tipo de emoção apenas. O chato é jogá-la em cima de alguém. Explodir com uma pessoa não é legal, nisso nossos pais estavam certos. É preciso aprender a não despejar esse sentimento nos outros.

Mas aí a Psicologia diz que ficamos doentes se guardarmos... Isso ta parecendo lixo radioativo, ninguém sabe o que fazer com ele... Bom, não se guarda nem se lança em ninguém... E agora?


Pensei em algumas coisas, primeiro saber que está com raiva, isso é primordial, reconhecer. Isso nos dá segundos de lucidez no meio do furacão, tempo suficiente para dar um suspiro, o ar extra que entra oferece mais clareza à mente raivosa. Outra coisa: trancar os dentes ajuda a dispersar a energia agressiva e a fechar a boca e por fim correr do lugar, onde a raiva começou e olhar para outras coisas, distrair.

Isso nos dá tempo para não despejar nosso lixo no outro e dissolvê-lo; quase como uma reciclagem. Obviamente, precisa-se treinar inúmeras vezes, para funcionar. Mas acho que vale a pena. Concordo com os pais que expressar raiva magoando os outros é feio. Errado! Sentir raiva, não. É natural para seres imaturos como nós. Podemos nos perdoar e aprender a domar o cavalo chucro.

Feio é o espetáculo que produzimos guiados pela raiva, se conseguirmos acalmá-la com consciência, ela se torna apenas outra emoção. Deviam nos ensinar o que fazer com ela e não a nos reprimir. Ar, consciência e lucidez são a mesma coisa que bombeiros num incêndio, apagam o que destrói.

Lembre-se é o comportamento guiado pela raiva que devemos conduzir melhor e não o próprio sentimento. Ah! Uma corrida também é ótimo para acalmar!

Namasté!

Leia também:
Crueldade
Ciúme
A difícil arte de dizer sim e não
O que é raiva
Afirmação para doma a raiva

11 comentários:

  1. Já tive ataques de raiva, de quebrar coisas... é horrível para quem assiste, mas que dá um alívio temporário, dá... Depois simplesmente não reconhecia aquela pessoa que tinha tido o ataque como sendo eu, parece que era uma coisa ruim saindo de dentro de mim! Hoje prefiro chorar até secarem as lágrimas...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. salve querida!! brigadinha pela sua visita.. sabe que não sei quem teve esta ideia do dia do beijo?? vc me deixou curiosa...rsrsrsrs vou pesquisar e depois te passo.

    bjocas mil

    ResponderExcluir
  3. Negar a Raiva é viver resignando-se, submetendo-se e experimentar a subserviência.
    Percebo a Raiva como uma Emoção saudável e no final nada mais é que a indignação manifestada em atos, gestos e até atitudes.

    Forte abraço amiga,

    Hod.

    ResponderExcluir
  4. Mulher de 40:

    Que honra ter vc por aqui!!!
    O espetáculo da raiva é muito esquisito...
    Precisamos expressá-la, mas devemos aprender a fazer isso sem machucar os que nos rodeiam.
    Acho que chorar é boa solução.
    Bjão!



    Ivany:

    Foi um prazer visitar seu blog!
    e quando descobrir sobre o dia do beijo me avisa!
    Bjão!



    Hod:

    Se direcionarmos bem essa energia ela fica favorável. É como o fogo, controlado e direcionado faz maravilhas!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  5. Persistir na raiva é como apanhar um pedaço de carvão quente com a intenção de o atirar em alguém. É sempre quem levanta a pedra que se queima.
    Buda

    Abraços forte

    ResponderExcluir
  6. Existe uma frase que não me recordo de quem é no momento, mas minha mãe sempre dizia:"A raiva é um sentimento onde quem acabada sendo prejudicado é quem sente, pois vai ficar triste e estressado"; e eu a trouxe para a vida adulta.
    Bjos
    Cecil

    ResponderExcluir
  7. Nanda,
    Parabéns pela lucidez do texto.
    O que fazer com a raiva se não devemos expressá-la tão pouco reprimí-la? Que fazer quando vc se sente agredida,ferida e com raiva?
    Se engulo, me ponho doente por dentro, se retribuo aumento a ofença... que logo vira uma bola de neve.

    Me lembrei que meu velho terapeuta tinha um grande almofadão e uma raquete de tenis. Deviamos (eramos um grupo) gritar, xingar, falar o que viesse na cabeça,sem censura enquanto descíamos as raquetadas na almofada estúpida. Era preciso dar tudo de si nessa hora, ou seja bater com toda força e gritar.
    Era ótimo, sabe? Saía dali mais limpa, mais leve, com a poeira baixa.
    Quando meus filhos adoleceram, comprei um saco de pancadas... e funcionou! Tinha sempre um esmurrando o saco, inclusive o pai e eu.
    Reprimir a raiva é muito perigoso, um tiro no coração.
    Acho que vou ali comprar uma raquete...

    ResponderExcluir
  8. Concordo contigo. A raiva é tão natural quanto o medo, a alegria etc, mas precisamos sempre encontrar maneiras de extravasar esta raiva sem prejudicar os outros, como também tentar resolver o conflito que gerou a raiva. Raiva é algo que vem do nosso lado mais primitivo, então acredito que devemos combatê-la com a razão.

    ResponderExcluir
  9. Príncipe:

    Verdade! Precisamos aprender isso!
    E isso é com todos sentimentos! Podíamos fazer isso com o amor, né? Seria mais inteligente!
    Bjão!



    Cecília:

    Muito bem, sabendo disso fica mais fácil senti-la sem jogar em alguém!
    Bjão!


    Maria Amora:

    Obrigada linda!
    Essa é uma técnica muito boa!!! Que bom sua família ter um saco de pancadas oficial e que não se machuca!
    Vcs devem estar mais saudáveis, hein?
    Feliz raquetadas!
    Bjão!


    Leila:

    Disse tudo! A razão é o antídoto para o primitivo é nossa dádiva recebida! Poderíamos usá-la melhor, hein?
    Bjão!

    ResponderExcluir
  10. NANDA,

    Pertinente tema, uma vez que lidamos com esta emoção todos os dias, direta ou indiretamente.
    Concordo com o seu texto, a primeira coisa a fazer é aceitar a raiva e não ter a ideia de que vc, um "ser supremo" não pode ter raiva, a mim um resquício da "culpa cristã".
    Respirar sempre é bom, concorda?
    Ter a percepção do fato e respirar, acho que isso dissipa a energia desta emoção, e é claro o bem lembrado gasto de energia com exercícios.
    :)
    Já publiquei um poema com o título raiva, se me permitir, coloco aqui:

    "Raiva e raiva,
    Sinto.
    Raiva,
    Expiração...

    Olhos cerrados,
    Boca fechada,
    Narinas contraídas
    Dentes ocluídos,
    Masseter tensionado!

    Faz-se a cara da raiva...

    Qual sua origem?
    Não se quer saber,
    Só quer ficar.

    Quem a causou?
    Importa?
    Não mesmo!
    Só quer retesar.

    Há solução?
    Talvez uma apenas.
    Deixá-la ser,
    Agir,
    E depois...
    Respirar,
    Tão somente!

    A paz virá,
    Deixa-a existir
    E depois inexistir...

    Inspira,
    Expira!

    Pira,
    Não pira!

    Adeus,
    Olá!"

    beijos

    ResponderExcluir
  11. Cristiano:

    Sim, acho que respirar é a mangueira com água benta para um acesso de raiva, é o que nos devolve a consciência.
    Obrigada apelo presente!
    É bem assim a raiva, hein?
    Bjão!

    ResponderExcluir

Oi queridos/das, adoro ler comentários, contribuam para o meu prazer! Obrigada.